30/01/2013

Final de Ano "na Times"

Final de Ano "na Times"
Este post nao foi da primeira vez, entao vai na segunda!! :)


Finalmente....Feliz 2013!!!!
Como foram de reveillon??PArece que ja tem um seculo desde a virada do ano, estou vendo que 2013 vai "voar"tambem...

Este final de ano foi mega corrido, acredito que pra todo mundo, mas eu aproveitei a preguica e as curtas ferias para passar muito tempo do lado da minha mae e amigas que mal pude ver durante o ano devido ao trabalho. Deu tempo para sentar e analizar como o ano de 2012 foi (OTIMO:) e o que fazer para melhorar neste ano novo.
Desejo que todos tenham um 2013 lindo, cheio de amor, alegrias, sorrisos, momentos inequeciveis...
O meu 2013 foi maravilhoso! Sei que poderia ter balanceado mais as coisas, mas de um modo geral, foi um ano muito bom!

Os pontos altos do meu ano:

- Me formar no college com honras (pra quem so tirava nota baixa a vida toda, isso foi um orgulho!)
- Trabalhar muito! To exausta mas realizada!
-Viajar pra costa oeste com minha mae e conhecer Las Vegas!
-Ir ao show da Thalia (!!!!)
-Ficar na primeira fila no show da Thalia (!!!!!!)
-Visitar varias vezes o set de Gossip Girl (Im such a teenager)
- Conseguir um estagio (yay!)
-Minha semana de aniversario (celebrei todos os dias!)
-Minha festa surpresa de aniversario
- Passar o Natal, Ano Novo e o Thanksgiving com pessoas que eu amo
-Novas e sinceras amizades conquistadas

Mas o post de hoje e dedicado a nada mais, nada menos do que ao Reveillon mais famoso do mundo: Times Square.

Todo ano e o mesmo dilema: O que fazer na virada do ano? Vamos pra Times Square? Nao vamos pra Times Square!!??Aparentemente nao vale a pena! Se voce  nao tem nada a perder e nao se importa de ser esmagado e passar frio sem poder ir ao banheiro o dia todo: va adiante! Deve ser uma experiencia incrivel!Mas beeeem sem graca se comparada a animacao do Brasil, claro. Pelo menos eh o que vejo pela TV e o que algumas pessoas que ja foram me contam.


Enfim, este ano eu nao sabia o que iria fazer ate as 10pm da noite do dia 31.
Terminei indo jantar em um Dinner (aqueles restaurantes que servem de tudo 24horas) que fica embaixo da estacao de metro (fancy, huh?) e assisti a virada no canal da ABC (so porque a Taylor Swift estava cantando la). Passei com a minha mae e um amigo da familia e a meia noite nos abracamos,rimos, desejamos coisas boas e tudo mais. Foi bem simples e especial, assistindo a TV no dinner com um bando de estranhos desanimados.... Durante nossa super chique ceia de ano novo, a Juliana, minha amiga, estava mandando text com fotos do ano novo dela, babysitting!! Foi o highlight da minha noite haha trocamos varios text messages pra hora passar mais rapido.

Quando deu 00:15 eu peguei o metro em direcao a Times Square. Why? Porque corre- o- boato- de -que- 5- minutos- depois- da- virada,- a- Times -fica -vazia, -porque -eles- nao- sabem -se- divertir- tanto -quanto -nos- e -esta- um- mega- frio,- entao- acabou- a- virada,- todo- mundo- vai- embora.
Cheguei na Times Square as 12:30 e a teoria era verdade: estava vazia, somente os lixos pra contar historia.
Parecia que tinha passado um furacao!




Tinha marcado com a Ju, que estava trabalhando (pq eu nao sabia o que ia fazer na virada) e ficou off as 12:30am e foi me encontrar, fomos pro Pub que eu mais gostoooo aqui em NY, que fica na 47th street, entre setima e oitava avenida. ADORO aquele pub! Enrfrentei o frio e a preguica de ir de casa pra Times Square qdo todo mundo faz o contrario naquele horario....Enfim,  passamos la a primeira madrugada do ano, ateh as 4am (balada em NY fecha tarde :).



Foi uma noite perfeita, passei com a minha mae  e depois ainda aproveitei a balada com minha amiga e outras amigas dela que estavam no mesmo pub e ela nao sabia!Dancei muito, ri muito e recomendo pra todo mundo nao ir pra Times Square passar frio o dia todo, mas o meu programa de indio no final deu foi muito certo!
beijao!



Happy new Year!

29/01/2013

Hey, you!

Hey people, esse é o meu primeiro post por aqui!


Como vocês ainda vão me ver muito por aqui, vou contar um pouco do meu processo. Eu sou uma futura Au Pair, no status: Terminando de juntar documentação para dar entrada no processo. Quando darei entrada?? Em Março. "Mas Júlia, porque só em Março?" Estou juntando todos os documentos necessários e aproveitando pra juntar mais horas e economizando no $$ pra pagar tudo.

Vou contar um pouco pra vocês do meu dilema: eu tenho 18 anos... "Mas Júlia, o que que tem você ter 18 anos?" Bom, ai que tá, não tem nada, tudo bem, exceto que: a maior idade nos EUA é os 21 anos, certo? Certíssimo!

Fazendo uma pesquisa por alto, vi que boa parte das famílias procuram Au Pairs maiores de 21 anos, e isso me deixou muito triste e por um tempo até pensei em desistir porque só via oferecimentos de família que diziam explicitamente "SÓ MAIORES DE 21". Mas daí uma amiga minha me adicionou em um grupo "Under 21", onde as meninas contam dos seus matchs e suas histórias, como foi, o que aconteceu e o que tá acontecendo. Nem preciso dizer que me animei MUITO né?

E através dessas meninas que postam nesse grupo, eu criei esperanças, a cada post delas no grupo, a cada motivação (porque sim, nós motivamos umas as outras) e claro, os desabafos, aquela hora de desespero quando você não sabe mais o que fazer. Estamos todas no mesmo barco, e ficamos felizes quando uma está, e triste quando tentam por a gente pra baixo, com comentários do tipo "Se é pra ir ser Au Pair under 21 nem vá, porque você não vai poder curtir nenhuma balada, não vai poder beber blablablá". Acredito que isso não é problema, já que quando você é Under 21 você tem a plena consciência de que não vai poder fazer nada do tipo, mas deixo uma dica: se você é muito baladeira, não consegue passar o fim de semana sem encher a cara e ir pra A balada... É melhor mesmo esperar, pelo que já ouvi falar, são poucas as festas Under e nem são tão boas assim... Mas você que não liga pra isso (como eu), se joga!! A vida é curta, aproveita pra trabalhar e estudar, o resto vem!! E pra os chatos que só botam a gente pra baixo ↓

That's all folks, espero que vocês tenham curtido o meu primeiro post, qualquer dúvida, sugestão, críticas ou idéias, sei lá, podem me procurar no facebook, nos grupos e nos comentários, sou legal tá?? :P

Beijão, e até a próxima!! xoxo


28/01/2013

Chegada na família! :D


Olá pessoas! Meu primeiro post :D


Vou falar como foi minha chegada na Host Family!

No último dia de treinamento na APC, as instrutoras falam sobre como pode ser o tão temido encontro com a família no aeroporto, primeiras semanas com a família, etc e tal! Eu vou contar como foi a minha experiência.
Desde o primeiro skype com a host mom, a achei uma pessoa muito divertida, não foi um skype sério, como costuma ser, pelos americanos serem bem secos! Então no treinamento pensava como seria o encontro com ela, pois somente ela iria me buscar no aeroporto, o host estava em Boston na faculdade e trabalho, e as crianças ficaram em casa com a vó!
Em nenhum momento, cheguei a pensar que quando a encontrasse, iria dar aperto de mão. Sempre foi beijo ou abraço...hahaha
Enfim, cheguei no aeroporto de Kansas um pouco antes do horário, pois meu vôo estava marcado para chegar 18h31 e eu cheguei 18h15. Sai para pegar a minha mala, o aeroporto é pequeno então já conseguiria ver a host se ela estivesse lá, MAS NÃO ESTAVA ainda! Já deu um medinho né, mas enfim, minha mala não tinha chego ainda, o vôo chegou mais cedo, ai fiquei mais tranquila. Minha mala demorou uns 10 minutos para chegar, peguei e fui no banheiro para dar um tempinho, porque ela ainda não estava lá!
Sai do banheiro e nada, já tava tirando o caderno e o cartão para ligar no celular dela! Quando tiro o telefone do gancho, vejo uma grávida correndo...hahaha ERA ELA o/


E aí? Abraço? Dou um beijo? haha
Não tive tempo, ela já chegou pedindo desculpas e me abraçou! hahaha Ufa, deu tudo certo e não paguei mico! Enfim, fomos pro carro. Do aeroporto até minha casa é uns 40 minutos, a host falava o tempo todo, perguntando de tudo, treinamento, vôo, uma fofa! Só que você travada né, com vergonha, inglês e talz! Enfim, chegamos em casa e quando a porta, tá os dois meninos, um na frente do outro, um com um buquê de flores e o outro com uma caixa de presente que era um cachecol! A vó, super fofa, também!


Enfim, a minha host family é M A R A V I L H O S A comigo, não tenho nada a reclamar, ATÉ AGORA! rs

E vamo que vamo rumo ao segundo mês :D

Beijos pessoas!

27/01/2013

Meu primeiro post - Por Mari Spil


Oi pessoal! Meu nome é Mariana, sou ex-au pair retornada ao Brasil há pouco mais de um ano e este é meu primeiro post... confesso que fiquei um pouco nervosa pensando qual seria o primeiro assunto que trataria, já que quando se trata de au pair e de EUA eu desando a falar e não paro tão cedo.

Então a modo de apresentação desta minha pessoa, decidi escrever um pouco sobre como foi que eu cheguei a ser au pair e como tudo se desenrolou. Senta que lá vem história.

Em março de 2009 estava eu, há poucos meses saída de um relacionamento de quase 5 anos que não iria me levar a lugar nenhum, procurando algo para fazer com a minha vida. Já era formada, já trabalhava na área havia quase 2 anos, mas faltava algo. Queria sair, ver o mundo, juntar dinheiro e fazer um mochilão, sumir por uns tempos... não sabia. O que sabia era que tinha perdido tempo demais pensando num futuro que nunca viria, já estava com quase 25 anos e estava renascendo para a solteirice.
Então meu irmão -que também tem esse siricotico por viagens- foi numa feira dessas de intercâmbios. Eu já tinha ido outras vezes, com o tal namorado do relacionamento longo, mas nunca tinha tido coragem de largar tudo. Sempre tinha visto intercâmbio como um sonho para outros, não para mim.
Meu irmão voltou da tal feira trazendo uma sacolona de panfletos dos mais diversos programas. Comecei a folhear, e um deles (um famoso panfleto com formato de estrela, alguém conhece? Rs) me chamou a atenção: dizia algo como “Seja Au Pair nos Estados Unidos com um investimento de apenas U$S200!”.
Isso muito me atraiu, li o panfleto todo, entrei no site. Obviamente não era somente isso que iria pagar para ser au pair, mas o restante do valor era devolvido no final do programa. Aquela noite, fiquei até altas horas lendo dois ou três blogs de au pairs que encontrei numa primeira googlada. Um deles me lembro de ter destrinchado até chegar ao primeiro post. Queria saber de tudo! Logo me tornei expert em tudo que tivesse relação com au pair: todas as regras do programa, de cabo a rabo, eu as sabia. Mas...
Não tinha carteira de habilitação. Tinha adiado por muito tempo tirar a CNH, fosse por falta de dinheiro ou pouca coragem de tomar uma iniciativa. Também não tinha horas com crianças.

---- Vou dar um pulo aqui, nos meses pouco interessantes em que fiz auto-escola, entrei para o Clube de Desbravadores (os “escoteiros” da Igreja Adventista), e entrei como voluntária numa escolinha do bairro. ----

No final de julho, fiz as provas do Detran e minha CNH saiu. Também fechei as primeiras 100 horas de atividades e cuidados com crianças, então fui à agência fazer a inscrição no programa. Assinei o contrato no último dia da promoção, mesmo com as agentes um pouco descrentes do meu perfil. Eu tinha pontos a favor, mas também pontos contra: já tinha 25 anos e isso -me garantiram- contava muitos pontos junto às famílias. Meu perfil era bom, equilibrado e responsável. Mas... poucas horas com crianças e CNH muito nova deixavam minha ficha “fraca”. Não importa, pensei. Vou continuar fazendo as horas enquanto preencho o application.
Levei para casa e comecei a preencher. Fui indo atrás das referências necessárias, formulário médico, fotos, etc. Ao mesmo tempo tinha outras atividades, e uma delas foi um divisor de águas entre o que acontecera até então e o que viria no futuro.
Com os maiorzinhos dos Desbravadores e a diretoria do Clube, surgiu uma subida ao Pico do Cambirela, em Santa Catarina (onde eu morava). Ia ser uma escalada noturna, pelo caminho mais complicado, com vários paredões verticais e obstáculos diversos. Na noite de 29 de agosto de 2009, fizemos a tal excursão.
Foi realmente uma subida muito difícil, em vários momentos era somente a parede, uma corda, eu, e Deus. As pessoas que já tinham subido ou que estavam esperando para subir não podiam fazer nada, cada um tinha que escalar por si só até o próximo patamar. Mas atingir o topo, às 3 da manhã naquele vento cortante de inverno me deu uma sensação de dever cumprido como poucas vezes senti na vida.
Dormimos apenas até começar a clarear. Ao despontar o sol, o amanhecer foi de uma emoção tal, que chorei em agradecimento a Deus por me permitir ver tal beleza, e pedi muito sinceramente que me guiasse nesse caminho que estava empreendendo. Meus formulários estavam praticamente prontos, faltava uma assinatura aqui e ali... pedi que Ele não me deixasse sonhar com aquilo que não era para mim.

Depois de descer, já no domingo, descansei. No dia seguinte, mal conseguia me mexer da dor nos músculos mas mesmo assim fui trabalhar. No fim do dia, me chamaram para conversar: fui demitida.
Essa era minha resposta! “Agora é a hora” pensei comigo. Em dois dias entreguei o application. Passei hora e meia dentro da agência, a agente revisou tudo junto comigo e eu mesma dei meu submit ali, no computador da agência. Estava feito!
Em exatos 16 dias, fiquei online.
Oito dias depois, a primeira (e única) família entrou em contato.
Seis dias depois, eles pediram o match. Dia 29 de setembro.
No dia primeiro de novembro, apenas 2 meses depois de ter pedido a Deus que não me deixasse ir em frente se aquilo não fosse para mim, embarquei rumo a New York para cuidar do pequeno B., o bebê mais lindo que eu já tivesse visto, de apenas 2 meses de idade.

Logo depois que cheguei na host family, fiquei sabendo da data de nascimento do pequeno B: madrugada de 30 de agosto, exatamente o dia e o horário que eu estava alcançando o topo do Cambirela.

Imagem: Arquivo pessoal - no topo do Cambirela


26/01/2013

INSURANCE

INSURANCE

Hey girls eu sou a Rafaela Malosa! 

Meu primeiro post eu vou falar sobre algo que ajuda e muito uma AU POOR: Insurance!
Sim, ele é para ser usado tanto em casos extremos, como em casos também mais simples!
Se você sente aquela dorzinha que não te deixa já fazem alguns dias, não exite liga para o seu insurance e use sem medo! Eu decidi sobre esse assunto porque utilizei meu insurance umas 3 ou 4 vezes durante meu primeiro ano de au pair.

Como funciona? Qual ou quais são os procedimentos? Mas onde eu vou? Mas e se o médico não aceitar a meu insurance, o que eu faço? 

Vamos por partes!

Como ele funciona?

Toda au pair tem que vir com o Insurance, não sei em outras agências, mas na APC já está incluso no pacote e quem paga é a sua host family. Você recebe o seu insurance assim que entra em treinamento. Não vou mentir, as vezes não é simples utilizá-lo, pelo fato de ter que sempre ligar para o número para abrir um processo e falar tudo o que está acontecendo com você para que possa utilizar o serviço. É assim que funciona, ficou doente? Teve dor de dente e é uma emergência liga para esse número: 1-888-551-9798.

Qual ou quais são os procedimentos?

Primeiro fala para a sua família que vc não está bem e precisa ir em um médico (vai que vc tem sorte e eles tem um amigo que pode atender de graça ou eles mesmos são médicos, nunca se sabe!), depois liga para a sua LCC ou Area Director informando que você nao está bem e que precisará usar o insurance (isso só por segurança, vai que a sua HF é daquelas que te escraviza e não quer que vc perca seu tempo com 'bobagens' e querem que vc seja 'parte da família' até nas horas de folga), depois você liga para o seu insurance (número que já passei ali em cima) e quem vai atender pra variar é uma máquina, ai vc aperta a opção abrir um CLAIM ou reportar doença (coisa assim), um moço super simpático irá te atender e perguntar o que está acontecendo com vc e perguntar tb seus dados, ai vc já pergunta: Esse insurance cobre consulta para isso? Ou para aquilo? Ou destista em caso de emergência? Ele vai te falar sim ou não e te perguntar se vc precisa de ajuda para achar um lugar para ir fazer a consulta, feito tudo isso, o moço simpático irá te pedir assim que vc fizer a sua consulta ligar no dia seguinte para informar se houve melhoras, se o medico te receitou algum medicamento ou se vc pegou o recibo em caso do local nao aceitar seu insurance. 


Mas onde eu vou?

Se você tem alguma dúvida de onde ir fazer a consulta no próprio site da AVI International Insurance tem opçao de médicos, mas se vc não encontrou, sinta-se a vontade para ligar para o numero do insurance e pedir indicações para o moço simpático ele vai te informar o lugar mais próximo da sua casa! 
Segue o site para ninguém ficar perdido: http://www.avi-international.info/br/index-br.html


Mas e se o médico ou a clinica não aceitar a meu insurance, o que eu faço? 

O processo para este caso é um pouco longo, primeiro vc pergunta para a clinica se aceita, se não aceitar, não tem problema, faz a consulta e pega o recibo (não vai esquecer do recibooooo!!!!!!), depois disso vc precisa imprimir o CLAIM FORM, tirar uma cópia do recibo pra ficar com vc e coloca o original no envelope e posta para o endereço indicado no site solicitando o reembolso dessa consulta, geramente leva de 4 a 8 semanas para o dinheiro retornar, mas ele retorna!!!! Fiquem tranquilas, só fazer tudo certinho que vc terá o seu dinheiro de volta!

Eu li algumas pessoas falando que vc tem tb a opcao de pagar a mais e ter um plano melhor, mas nunca me falaram nada sobre isso tanto no treinamento, quanto a minha agencia do Brasil...As vezes vale a pena perguntar.


Algumas dicas:

- Sempre que forem em algum consultório verifique se quem vai te atender é um Doctor, Nurse ou Nurse Practitioner, minha hosta sempre me falou que não é muito recomendado nurse practitioner, porque as vezes o insurance não aceita e também não devolve o seu dinheiro! Então sempre é bom perguntar para o moço simpático!

- Sempre tire suas dúvidas antes de entrar no atendimento com o médico, quanto irá pagar, o que está incluso no valor da consulta, para depois não vir aquela conta de 400 dolares!

- Sempre avise sua LCC ou Area Director e host parents, porque se acontecer algo no consultório, eles sabem onde você está e como te ajudar!

- Não exite em usar o insurance, caso necessário, e não fique com medo de falar pra HF que vc precisa ir ao médico!

Pode ser que eu tenha esquecido algo, me desculpem, mas são muitas infos...Se eu estiver errada tb, me desculpem e por gentileza me corrijam. Espero ter ajudado em algo.

Rafa

25/01/2013

Prazer, Eline!

Prazer, Eline!
O post a seguir foi escrito por uma das nossas novas integrantes do blog, Eline Eller! Hoje eu tive que colocar o post dela no ar, mas o próximo post ela mesma vem postar pra vocês! ;)


Olá meninas e meninos!!
Bom eu sou a Eline, quaseeeeeeee 28 anos :( meu niver será na segunda, mas sinto que estacionei nos 25 aninhos :P
Hoje é a primeira vez que estou postando no blog e é um imenso prazer. Bom minha história começou há muito tempo atrás, quanto eu tinha 18 para 19 anos, a ideia de au pair veio como uma luva, e abracei com tudo e queria vir de todo que era jeito, mas meus pais disseram não, porque era uma ideia maluca e perigosa, mas eu perturbei eles tanto, que me disseram só depois que eu terminasse a faculdade, mas nem tinha ideia que curso fazer , que rumo tomar, até que resolvi fazer pedagogia, foi uma das melhores coisas que fiz na vida, e graças a DEUS que me guiou muito em todas as minhas decisões. Eu sempre ficava preocupada quanto ao dinheiro, como pagar todo o processo, dinheiro para trazer para os EUA, mas meu pai falava eu vou me aposentar depois que você terminar a faculdade e irei pagar e você vai realizar seu sonho. Meu inicio do processo começou 1 mês antes de terminar a faculdade, meu pai recebeu uma ligação do advogado dele, dizendo que ele conseguiu a aposentadoria, meu pai estava tão feliz, porque ele sabia que era muito importante para mim. Então me formei na faculdade em julho, preenchi meus forms, fiquei online em outubro de 2010, conversei com 13 famílias de diferentes estados, mas fechei com uma família de NY em Janeiro. Inclusive minha atual host family que é da GA, era uma das familias que eu teria que escolher, havia eliminado várias da lista e sobrou a de NY e a da GA, então fui curtir meu primeiro ano em NY com muito frio no começo e um Summer maravilhoso com muitos finais de semana em NYC, muitas viagens, festas, amigos maravilhosos que fiz, muita gente desagradável que conheci também (RS) mas tudo valeu a pena, se voltaria no tempo faria muita coisa melhor e outras não..rs Mas a vida é assim, tem que viver todos os dias sem desperdiçar um momento. Estou a menos de 2 meses para terminar meu programa, e nesse tempo irei falar de toda experiência, curiosidades e aventuras vividas aqui nos States. Irei postar um dos meus vídeos do meu primeiro ano de au pair, então espero que vocês gostem!
Então pessoal nos vemos na próxima vez, não quero que meu post seja muitoooooo grande e cansativo, porque sou uma pessoa que falo d+ da conta, mas se quiserem dar sugestões e opiniões, tudo será muito bem vindo! :)

http://www.youtube.com/watch?v=_36CY11Y0Mo&list=UUlC1tPaBhtIAENXOafFjazg&index=4

24/01/2013

de volta a ativa (:

de volta a ativa (:
hey everyone...

aqui é a Rafinha Mitsue (meu blog) a muito tempo eu não postava em nenhum dos blogs que sou colaboradora (e nem mesmo no meu) mas tive motivos para tal. A dúvida de se era isso mesmo o que eu queria, e a decisão de prestar vestibular de novo mesmo já estando em uma federal, o corre corre no trabalho e por fim (e o pior de tudo)... a perda do meu tio avô ): E então, com tantas motivações que ressurgiram aqui, o porque continuar com o processo? Porque sair do certo e tentar o incerto?

E depois de pensar tanto e tanto, finalmente vi que isto é muito mais do que apenas um plano, para muitas de nós (como para mim). Parar o processo agora, significaria permanecer na dúvida. E se na verdade lá for o meu lugar? E se eu conhecer o amor da minha vida nesta viagem? Ou se lá eu terei a oportunidade de mudar a minha vida?

decidi, que vou pagar para ver... que sendo um sonho-plano-objetivo a minha ida para lá vai ao menos me render um monte de histórias, com uma host family segunda família, ou uma host que vai me fazer rezar por um re-match, se passarei pela espera louca de uma família quando ficar online, ou se por milagre divino eu conseguisse logo. Seja qual for a história que eu tenha para contar na volta, que eu possa aproveitar cada segundo de tudo isso! 

               E eu espero ter vocês sempre comigo. Love, R.

ps. you can find me here or here.

23/01/2013

Um bicho-papão chamado Visto!! rs






Hello girls!! Esse é meu primeiro post aqui no Wall Pair, e pra falar bem a verdade, em um blog! '')
Bom, pensei em um monte de assunto que poderia falar, mas acabei caindo em um bem falado, mas que ainda causa muito pânico e dúvida em um monte de meninas e que eu sempre vejo como alvo de perguntas nos grupos.
Hoje vou falar sobre o temido VISTO, que na verdade não foi tão temido assim (é, mas a gente só pensa assim depois que sai toda feliz e contente com a frase do cunsul – You've got your visa. lol).
Tirei no Rio, dia 17 de dezembro mais precisamente. Na verdade fui pro Rio na quinta, pois estava agendada no CASV na sexta de manhã. O CASV é absurdamente ‘’bobo’’, a gente não fica nem 10 minutos lá dentro, eles só conferem o passaporte e os formulários DS-160 e o DS-2019 e tiram a foto pro visto.
Logo depois fui fazer o que qualquer um com muito tempo vai fazer, bater perna! rs Como fiquei na casa de uma amiga lá, e fui na quinta e minha entrevista no consulado só era na segunda, aproveitei pra curtir o rio! Foi ótimo.
No domingo cedo bateu o desespero...então resolvi dar uma ‘’estudada’’ nas supostar perguntas que poderiam fazer, isso durou mais ou menos....15 minutos! rs
Na hora de dormir foi super tranquilo, mas sonhei a noite toda com a entrevista, acordei bem cedinho porque estava agendada para as 9h. Tomei café, me arrumei, e lá fui eu pegar o metrô. Chegando no consulado, levei um susto (cheguei as 8h), a fila estava gigantesca! Na hora pensei – putzz vou sair daqui na hora do almoço só! rs – Mas não, a fila andou super rápido e antes das 9h estava lá dentro.

Agora vou transcrever como foi minha entrevista (não lembro das palavras exatamente). Foi um homem que me entrevistou, super simpático. Mas a entrevista é bem aquela coisa, cada caso é um caso, no meu eu tive sorte.  A conversa foi a seguinte: 

C: Bom dia, td bem? (sim, em português)
Eu: Bom dia, td e vc?
C: Bem tb. Vc vai pra onde?
Eu: EUA
C: Vai fazer o q lá?
Eu: Intercâmbio, Au pair.
C: Do u speak english? (quase morri quando ele falou)
Eu: Yes. (com o maior tom de ‘’por favor não me faça pergunta complicada!’’rs)
C: Where you learn to speak English?
Eu: Private course.
C: How many children you will care?
Eu: 3
C: Whoa! How old?
Eu: 1 girl and 2 boys. 12, 8 e 6 years old.
C: Do you have contact with the family?
Eu: Yes, by skype, email and facebook.
C: You know the name of your city?
Eu: West Bloomfield Township/MI.
C: Ok, place the four fingers of your left hand here to take your fingerprints. You've got your visa. Have a good trip!
Eu: (sorriso mega gigante) Thank you!!!!

Foi isso, suuuperr tranquilo, estudei um monte de pergunta atoa, sai de lá exatamente as 9:15h, com um sorriso de orelha a orelha e louca pra finalmente gritar pra todo mundo – I GOT MY VISA!! iêê


21/01/2013

Vou passar na alfândega. E agora?

Esse é um assunto polêmico e que causa muita curiosidade, afinal, todo mundo quer levar várias coisas dos EUA - ou de qualquer outro país - pro Brasil, e sempre surgem as dúvidas. Sempre vejo nos grupos de au pair perguntas sobre isso, e sempre tento responder, pois tenho conhecimento da causa. E é por isso que resolvi fazer um post, com o intuito de ajudar as meninas que estão voltando, seja dos EUA ou de qualquer outro país (as regras são as mesmas).
Primeiro de tudo: a au pair que completa um ano, não precisa se preocupar tanto. Não só au pair, mas qualquer pessoa que more um ano ou mais no exterior. Por lei, a pessoa tem direito a levar mudança, ou seja, pode levar uma televisão de 50 polegadas, um vídeo-game, uma mesa de jantar, um vaso de flores, enfim... :P as regras abaixo servem para quem ficou 1 mês, 2, 3 ou mais de um ano. Porém, pra quem ficou mais de um ano, algumas coisas mudam.
E claro, antes de tudo: TODA REGRA TEM SUA EXCEÇÃO, certo? Não serão TODAS as pessoas que irão ser paradas pela alfândega e, das que forem paradas, sempre terá uma que conseguirá entrar com algo sem pagar impostos, e outra não. A Receita Federal é sorte, é bom humor do fiscal que para - ou não - você.

Todas as regras são pra quem entra no Brasil vindo de AVIÃO - sim, as regras são diferentes pra quem entra de carro ou navio. Outra coisa que muda também: bagagem acompanhada possui um tipo de tributação e cotas e bagagem desacompanhada possui outro. A bagagem desacompanhada é aquela que você envia por navio ou até mesmo por avião, mas não juntamente com você - exemplo: via correios.
Roupas, sapatos e cosméticos em geral - Existe uma cota. O que for comprado pra presente ou pra ser usado no Brasil (leia-se pra você, mas ainda novo) entra na cota, que são U$ 500. Acima disso, é taxado. Itens como relógios de pulso e roupas não tem limite de valor, mas tem limite de quantidade. Você não pode voltar com mais do que um relógio de pulso comprado no exterior, e nem várias peças iguais da mesma roupa. O máximo de roupas e cremes que se pode levar são 25 unidades, sendo que não pode ter mais de 3 unidades idênticas.

Eletrônicos - Filmadoras, computadores pessoais, tablets, utensílios eletrônicos de cozinha e eletrodomésticos estão na mesma cota dos U$ 500. O que passar, é taxado! Máquina fotográfica de uso pessoal não entra na cota de valor, nem celular e eletrônicos como tocador de mp3 - como um iPod. Esses, cada pessoa pode entrar no país com UMA unidade de cada, e tem que ser todos usados, não pode entrar com novo. Se for novo = taxado. No total, pode-se levar 20 unidades de eletrônicos, e como nos itens anteriores, não mais do que 3 idênticos.

Bebidas alcoólicas - Pode-se levar 12 litros, mas dentro da cota dos U$ 500.

O que acontece se levar mais do que as unidades permitidas? Bom, ai suas coisas não serão mais consideradas bagagem, elas serão importação comum, e as coisas só podem ser retiradas do aeroporto por uma pessoa jurídica habilitada no Siscomex e, claro, somente com o pagamento de todas as taxas.
Ah, e quem for pego uma vez com coisas acima da cota, fica com o nome "marcado" na RF. Na próxima vez que você passar pela alfândega, você pode perder tudo o que trouxe de fora. Portanto, cuide! 

Outros limites:
Cigarros: 10 maços, no total, contendo, cada um, 20 unidades.
Charutos ou cigarrilhas: 25 unidades, no total.
Fumo: 250 gramas, no total.
Bens não relacionados nos itens acima (souvenirs e pequenos presentes), de valor unitário inferior a U$ 10: 20 unidades, no total, desde que não haja mais do que 10 unidades idênticas.
Bens não relacionados nos itens acima: 20 unidades, no total, desde que não haja mais do que 3 unidades idênticas.

As taxas de 500 dólares se aplicam com o viajante entrando no Brasil, seja vindo de qualquer país. A única coisa que muda é que, este valor é em dólares americanos. Ou seja, se você estiver voltando da Europa, por exemplo, o valor será o equivalente a 500 dólares, mas em euros.

Bom, uma coisa que tem cota separada dos itens anteriores, são as mercadorias compradas nas lojas francas, conhecidas como Duty Free Shop. É possível comprar U$ 500 em mercadorias nessas lojas dentro dos aeroportos, com isenção de tributos, após o desembarque no Brasil e antes de sua apresentação à fiscalização aduaneira.

Agora, PRA VOCÊ QUE COMPLETOU UM ANO COMO AU PAIR E ESTÁ VOLTANDO AO BRASIL, o que você muda? Bom, todas as cotas acima são aplicáveis a vocês - a nós! :P sim, elas são! O que temos "a mais" é que podemos levar itens de mudança, que são móveis e utensílios de uso doméstico, sem nenhuma taxa. E também podemos entrar no Brasil com ferramentas, máquinas, aparelhos e instrumentos que sejam necessários o uso em nossa profissão - pra isso, deve ser comprovada a atividade desenvolvida pelo viajante.

Resumindo, se você ficou um ano, você não pode entrar com 3 notebooks e 3 celulares dentro da caixa, bonitinho, como muita gente pergunta E PENSA! Primeiro, eles precisam ser diferentes e, segundo, você tem que provar que eles são usados ou que são necessários no seu trabalho. Pela regra, você ficando um ano, mais do que isso ou menos, tem o limite de U$ 500 pra roupas novas, por exemplo, e também de quantidade (25). Por isso fica a dica: mesmo que sejam roupas novas, mas se forem pra você, tire todas as etiquetas e, se possível, lave uma vez antes de colocar nas malas. E lembrando que USO PESSOAL não possui cota de valor, mas não pode exceder a quantidade. Então SIM, você pode levar um celular ou um computador de qualquer preço pro Brasil, não precisa ser menos de U$ 500.

Muitas pessoas que permanecem mais de 1 ano fora do Brasil nem são paradas na Aduana, pois essas pessoas geralmente tem coisas DEMAIS para serem vistas e avaliadas em valor e quantidade. PORÉM, não é nada impossível que eles parem eu ou você quando voltarmos ao Brasil. Portanto, se for levar algo além da cota permitida, leve consigo sempre a nota fiscal, pois assim eles não podem taxar com base no valor deles, e sim, com base na SUA nota fiscal e no valor real que você pagou! Pra quem não sabe, esses impostos são acima de 50% do valor do produto.

Mais uma dica: nos quatro primeiros meses do ano passado, em SP, houve alta de 70% no número de passageiros fiscalizados na comparação com o mesmo período de 2011. Ainda não sairam dados de 2013, mas já podemos ver que o aumento é muito significativo, certo? E as bagagens vistoriadas aumentaram em 60% , com um acréscimo de 50% no valor dos impostos e multas aplicadas. Então FIQUEM ESPERTOS! Tenham sempre as notas fiscais com vocês, principalmente de eletrônicos e coisas que vocês desejem levar, mesmo assim, novas ou ainda na caixa - como algo para presente.

E com o que é EXPRESSAMENTE PROIBIDO entrar no país?

Cigarros e bebidas fabricados no Brasil, destinados à venda exclusivamente no exterior.
Cigarros de marca que não seja comercializada no país de origem.
Brinquedos, réplicas e simulacros de armas de fogo, que com estas se possam confundir, exceto se for para integrar coleção de usuário autorizado, nas condições fixadas pelo Comando do Exército Brasileiro.
Espécies animais da fauna silvestre sem um parecer técnico e licença expedida pelo Ministério do Meio Ambiente.
Espécies aquáticas para fins ornamentais e de agricultura, em qualquer fase do ciclo vital, sem permissão do órgão competente.
Produtos assinalados com marcas falsificadas, alteradas ou imitadas, ou que apresentem falsa indicação de procedência.
Mercadorias cuja produção tenha violado direito autoral ("pirateadas").
Produtos contendo organismos geneticamente modificados.
Os agrotóxicos, seus componentes e afins.
Mercadoria atentatória à moral, aos bons costumes, à saúde ou à ordem pública.
Substâncias entorpecentes ou drogas.

Esses itens acima, se trazidos pelo viajante, serão apreendidos pela Aduana. O viajante pode ainda, conforme o caso, ser preso pelas autoridades brasileiras e processado civil e penalmente.

E, pra finalizar, umas dicas retiradas do próprio site da RF:

- NÃO transporte objetos para outras pessoas. Se você o fizer e for uma mercadoria proibida ou restrita, você será o responsável.
- NÃO acredite que você "não é o tipo". Os funcionários aduaneiros podem selecionar pessoas e bagagens para inspeção detalhada por diversas razões. A seleção não deve ser vista como um reflexo da integridade, do caráter ou da aparência do viajante.
- NÃO forneça informações falsas para a Aduana. As penalidades por falsas informações (como faturas forjadas) são severas e podem resultar em apreensão das mercadorias e em processo criminal contra os responsáveis.
- NÃO traga para o Brasil mercadorias pirateadas ou contrafeitas. A pirataria de direitos autorais e a contrafação de marcas são ilegais. As mercadorias contrafeitas ou pirateadas importadas para o Brasil estão sujeitas a apreensão pela Aduana e os seus portadores podem ser processados civil e criminalmente.
- NÃO traga bens e mercadorias com finalidade comercial. Se trouxer, declare-os na Declaração de Bagagem Acompanhada e informe, antes de qualquer ação da fiscalização aduaneira , que eles serão submetidos a despacho comum de importação,  identificando a pessoa jurídica que o promoverá. Caso contrário, você  poderá perder a mercadoria.
- NÃO é permitida a importação de mercadorias para fins comerciais ou industriais por pessoas físicas.

Quem ainda tiver dúvidas, pode consultar o próprio site da RF: http://www.receita.fazenda.gov.br/aduana/viajantes/viajantechegbrasilsaber.htm

E, no que eu puder ajudar, os comentários estão ai pra isso :) espero ter esclarecido muita coisa com esse post! Beijo e boa semana pra todos que passam por aqui!!
www.claupair2011.blogspot.com

20/01/2013

Primeiro post.. e 5 meses de USA!

Primeiro post.. e 5 meses de USA!

Ola pessoas,
 
Eu sou a Fernanda.. e hoje sera meu primeiro dia postando aqui! Sou responsavel pelas postagens de domingo #WallPair.. dia que nao se tem muita coisa para fazer, entao.. voces podem desfrutar dos meus posts! =]
 
Ate ontem eu nao tinha ideia sobre o que escrever.. mas ai, eu olhei o calendario e percebi que meu primeiro post eh no dia que eu completo 5 meses nos EUA! =]
 
Entao eu resolvi fazer um "resumao" do que aconteceu nesses 5 meses.. que passaram super rapido!
 
Cheguei nos EUA dia 20 de agosto de 2012.. fiz o treinamento da APIA (Stamford/CT.. 25 min - by car - de onde eu moro), sim.. como TODAS AS MENINAS FALAM, eh MUITO cansativo, mas eh muito bom/legal, e passa "voando", quando voce ve, jah eh quinta-feira... hora de ir para a host family!
 
Eu fiquei beeem nervosa no dia, e quem foi me buscar no hotel foi a ex Au Pair (que se chama Fernanda tambem). Ela chegou lah com a minha kida menor (3/2 anos), e na hora que eu as vi entrando no saguao do hotel, jah reconheci, e eu estava tao animada na hora (fui CORRENDO ao encontro delas) que a ex Au Pair falou: "se eu soubesse que a recepcao seria assim - "tao animada" - eu teria gravado!".. haha, eu acho que era mais nervosismo/ansiedade mesmo! Enfim.. fui para a minha casa, e fiquei lah com a ex Au Pair e a kida. Depois chegou o meu kido mais velho (10 anos) e foi super bonitinho, me abracou massss.. subiu para jogar X Box.. haha. Ai quando nos estavamos dando banho na menina (jah cheguei "entrando no clima", observando/aprendendo TUDO) chegou o outro kido (7 anos), e ele tambem foi um fofo, falou "Hi Nanda" com um sorrisao no rosto, e me abracou. Eu senti um clima muito bom com as criancas desde o primeiro dia! Ai logo depois minha hosta chegou.. e como dizem minha amigas "ela fala sorrindo" (ela sempre esta bem humorada), e tambem me recebeu muito bem.. com um abraco. Eu dei uma saidinha com a Fernanda, e quando a gente voltou.. eu conheci meu hosto! Ele estava no quintal cortando a grama, e eu fui em direcao a ele (sem saber se "apertava a mao" ou "abracava".. haha, esse eh o PRIMEIRO DILEMA de todas as Au Pair - como cumprimentar a host famly? - no treinamento da APIA, estava na pauta da Sandee (instrutora), ela falou sobre isso, mas eh impossivel saber "como sera").. enfim, eu estava esperando por um aperto de mao, e meu hosto, mesmo suado, me cumprimentou com um abraco (e pediu desculpas por estar suado). Recepcao calorosa de todos os membros da Host Family. A ex Au Pair ficou comigo ate domingo, e domingo tive que dirigi-la para NYC! (eu considero isso como um "trote".. haha.. foi tenso! Dirigir em NYC eh complicado, e eu confesso que depender de GPS, no comeco nao foi facil. No Brasil eu nunca tinha dirigido com GPS, e para "pegar o jeito" demorou um pouquinho.. e fez eu me perder algumas vezes, rs).. enfim, essa foi minha chegada!
 
Primeiro mes? Sera soh por um ano!! A minha familia eh boa/legal.. mas a alimentacao, OMG! E eu nao sou uma pessoa NADA saudavel, no Brasil eu adorava comida americana, e nos EUA eu odeio comida americana! (Bacon, por exemplo, eh minha paixao - nos EUA eu prometi para mim mesma nunca mais comer! #PassoMal). As criancas? Foi complicado! Os meninos falavam comigo como se eu entedesse TUDO. A menina fazia umas birras que eu pensava "OMG.. sera que eu nao sou capaz de cuidar de uma crianca de 4 anos?", mas ao mesmo tempo eu tambem pensava "nao sera uma crianca de 4 anos que vai me fazer desistir.. demorou tanto para eu conseguir chegar aqui.. agora eu fico!". Enfim.. fase de adaptacao.. foi complicado, massss passou!
 
Segundo mes? Descobri restaurantes brasileiros na regiao que eu moro.. pelo menos 1x por semana me dou ao luxo de comer lah, entao.. eu estou bem! haha.. e o ingles vai melhorando.. primeiro a gente precisa "aprender a escutar o jeito que os americanos falam ingles, totalmente diferente dos nossos professores brasileiros dando aula de ingles".
 
Terceiro mes? Acabou o "periodo de experiencia", se voce nao desisitiu.. voce nao desisti mais! Nesse tempo voce jah sabe como a familia funciona, tudo fica mais facil.. e acaba virando rotina.
 
Quarto mes? Humm.. comeco a pensar, "eh.. um ano sera pouco, esta passando muito rapido!" Ainda mais que meu quarto mes foi entre Thanksgiving e Natal.. tudo tao corrido.. porque feriados aqui eles realmente "se planejam", pelo menos na minha casa eh tudo organizado.. e muito decorado! Primeiro foi Halloween (que foi zoado por causa da "Sandy").. depois Thanksgiving (que na verdade eu nao passei com eles.. eles foram viajar.. e eu fiquei 4 dias sozinha em casa, minha hosta ate falou: "voce tera a casa soh para voce por QUAAATRO dias, faca uma festa!")..  e depois natal, todo mes eles estavam planejando/organizando coisas.. e as criancas contando os dias para essas "datas especiais"! (acho que agora estao se preparando/esperando pelo " Valentine's Day")
 
E agora.. quinto mes! E para comemorar.. eu estou aproveitando o feriado em Vermont com a minha HF! Foi escolha MINHA fazer essa viagem com eles! O clima em casa sempre foi muito bom.. e depois do Natal, mesmo eu nao ter passado com eles, parece que as coisas mudaram.. para melhor! Eu nao sei explicar porque.. massss, esta diferente, positivamente diferente! Talvez porque nos ficamos UMA SEMANA longe.. haha.. e eles chegaram em casa falando "Nanda.. we missed you!", e jah chegaram me convidando para vir para Vermont com eles na proxima vez (que seria agora - 3 semanas depois - no feriado de Luther King), e desde entao eu pensei.. "pq nao?".. e ca estou! Eu vejo MUITAS meninas falando que viajar com a HF eh a maior furada.. e para mim esta sendo um EXCELENTE final de semana! Eu realmente estou me divertindo.. e esquiar eh MUITO BOM! (modestia a parte.. eu estou mandando muito bem nos "esportes de inverno"! Ice skating.. Ski.. e eu ainda quero tentar snowboard!)
 
Enfim.. eu estou realmente feliz com essa minha vida de Au Pair.. 99% decidida a estender para o segundo ano! Nao eh facil.. massss, esta SUPER VALENDO A PENA! =]
 
Have a nice Sunday! ;)
Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial