27/02/2013

Amizades preciosas!

Olaa!! Desculpa a falta de acentos, mas o pc aqui nao tem configuracao...

To na minha primeira semana com a family, e as coisas estao indo bem apesar de achar que nunca vou conseguir pegar todas as manhas! rss

Minha familia eh otima e me tratam super bem, as kids sao super cutes!! Eles me ajudam muito!

Mas, na verdade, hoje vim falar das amizades que fazemos quando viemos pra ca, principalmente na escola de treinamento!

Fiz amigas que posso contar pra qualquer coisa aqui! Elas sao diferentes das amizades que fazemos quando ja estamos na nossa cidade, pois na escola nos compartilhamos os mesmo sentimentos de perda, de saudade...

amigas queridas da escola de treinamento!

Por isso que digo a voces, que antes de irem, ja tenham algum tipo de contato com as pessoas que vao com voce, vale muito a pena! Pode ter certeza que sera com elas que voce vai poder contar pra viajar durante o ano, e o mais legal, elas podem vir pra sua casa e voce pra delas!

Alias, eu ja estou aqui de portar abertas pra receber minha amiga Bia no spring break!

Bom..hoje o post vai ser bem curtinho porque eu relamente estou super atolada por aqui e ainda nao consegui resolver minhas coisas e muito menos colocar meu sono em dia, mas ta valendo a pena!!

Beijoss

26/02/2013

Videos, videos, videos!

Videos, videos, videos!

Oi Meninas!!

Hoje vim falar sobre algo que eu amava fazer no meu tempo livre como au pair!
Minha paixao por seguir carreira em fotografia na verdade comecou com um hobby que eu tinha: o de criar videos!
Durante meu ano como au pair eu sempre filmava viagens, encontros, passeios, festinhas...Alem de tirar fotos, e claro!
E hoje tenho um canal no youtube que tem vaaaarios desses videos (tenho muitos outros mas tive que bloquear depois de tanta vergonha hahaa) que eu olho pra tras e me da aquela nostalgia, saudades de uma epoca MUITO boa na minha vida. Com muitas dificiculdades, muitas alegrias, muitas lagrimas, muitas despedidas, muitas conquistas, muita viagem, muito amor, muito TUDO!

 Foram dois anos que passaram voando e pra cada familia eu fiz um video com os melhores momentos do meu ano com eles e os hosts ficaram muuuuuito felizes! Entao fica ai a dica, acho que videos sao um dos melhores presentes que podemos dar a eles e eh algo que mostra o quanto amamos as kids e o quanto aproveitamos nosso ano junto deles. E claro, pra termos pra sempres recordacoes de uma epoca tao boa!

Ficam aqui alguns links pra voces terem uma ideia do que espera voces nessa nova aventura!


http://www.youtube.com/watch?v=Qlhevu-CRVc
http://www.youtube.com/watch?v=BXKUO602Vlw&list=UU9uBTfEf9Hsl98PScLguiIA&index=30
http://www.youtube.com/watch?v=qZ8ncB3FS-o

O programa que eu usava pra editar na epoca era o Windows Movie maker que vem em qualquer computador Windows. Mas pra quem tem mac, recomendo o iMovie.

beijao!

25/02/2013

Será que eu tenho nervos de aço?


Hi Girls,
Esse post nao eh muito animador para as aspirantes a au pair.

Gente! eu posso dizer a voces EU PAREI MINHA VIDA POR UM ANO. Desde que conheci o programa au pair deixei de fazer muita coisa, algumas boas oportunidades e etc. [foi uma escolha minha eu sei!]
Estou eu aqui desempregada, deixei meu trabalho sexta-feita 22 de fev. e meus estudos estao parados para viver essa vida.

Dia 18 de fev. tive meu quase match, mas outra girl foi escolhida por que tinha mais "childcare experience".
Eh como meu pai diz: Eh muita "frescura e humilhacao" pra chegar lah pra limpar coco de criança e aguentar mal-criaçao.
Ai gente vcs me dizem: Ah Eveline tu soh fala isso porque ta com raiva do quase match, e eh tambem ate hoje sou consciente do que vou fazer lah mas quando voce esta prestes a fechar o match voce fica nas nuvens e soh pensa em ir logo. Quando a gente cai dessa nuvem a gente começa a se questionar "Meu Deus! o que eu quero realmente?" deixar meu bom emprego? uma faculdade? amigos? familia? ...mesmo sabendo que essa experiencia eh unica e diferente de outras que jah tive.
Bom, eu continuo no processo com 3 meses on line, ja se passaram 14 familias soh 3 entraram em contato comigo (nao vou reclamar que falta familia pq estarei mentindo), agora mais que antes estou sendo mais exigente pois jah comecei a colocar tudo na balança. Gente, me desculpa os acentos no texto pq meu pc ta configurado em ingles, posso ser au pair tudoooo mais continuo sendo uma au pair inteligente rsrsrsrsrs.
Olha que lindo o cartao que ganhei na minha despedida do trabalho!
I HOPE SO!


Bjo e #TAMOSJUNTAS!

24/02/2013

WELCOME

   Oi gente! Esse e meu primeiro post aqui no grupo. Espero que gostem ;)




  Me chamo Lais Borges, tenho 26 anos, nasci em uma pequena cidade  do Mato Grosso o Sul, fui criada em Natal e antes de vir pros states, morei por seis meses em Sao Paulo e aqui estou eu, ha vinte dias onde eu sempre sonhei estar: EUA!
  Sempre sonhei em fazer intercambio, mas sempre achei que fosse um sonho quase impossivel em relacao a custos. Sempre me banquei e meus pais nao teriam condicoes de me ajudar... ate que um dia, cansada de Natal, cansada do meu emprego, cansada de tudo... fui ate uma agencia de intercambio pesquisar valores, estava decidida a fazer algum tipo de intercambio a qualquer custo! Foi entao que descobri o programa AU PAIR. Pra mim foi perfeito, pois passar um ano nos States, ganhar em dolares, ter uma moradia a qual nao precisarei ajudar em nadica de nada e ainda poder viajar... E foi justamente esse o programa de intercambio escolhido!
  Demorei com o processo, passei um ano pesquisando coisas sobre au pair e demoei para encontrar uma family! Sete meses on line, sem video e finalmente, eis que suge uma host family linda, num lugar legal e me propocionando coisas que talvez em outras familias eu nao teria...                                
Foi mais dificil do que ha tanto tempo eu imaginei e sonhei... engoli o choro. O no na gaganta doeu. O coracao apertou. E as lagrimas nao se conteram. Mas o que e um ano? Um ano passa tao rapido...
-Sim, e verdade! Mas quando se trata de sentimentos, um ano e uma tortura.
Mas viajar e preciso! Crescer e essencial! E o que for pra ser, sera!
E assim entrei naquela sala de embarque, deixando toda uma vida pra tras, indo sem saber como seria o amanha...
  As outras au pairs que ja estavam la acenaram pra mim e me acalmaram como se ja nos conhecessemos ha tempos...
Todas em seus lugares! Apertem os cintos! Sejam fortes! E boa sorte!
- Prontas para decolar.
Olhares paralisados, perdidos, cheios de lagrimas e sonhos, todas olhando para a mesma direcao, uma janelinha pequenininha de um gigante aviao que nos levaria ao desconhecido... a janela que separava nosso passado do nosso futuro... olhar o que estava ficando pra tras e entrar em meio as nuvens branquinhas, sem saber o que nos esperaria adiante... simplesmente acreditar, ter fe, forca e muita perceveranca!
  Sou da Cultural Care, o treinamento e numa escola em NY. E muitoo cansativo, mas as amizades que se faz la, as gargalhadas e micos que ja comecamos a pagar logo no primeiro dia, nao tem preco! Posso dizer que gostei muito! Com exessao do primeiro dia. Detestei! Chegamos de noite, tava muitooo frio, nao tinha ninguem para ajudar a levar as malas ate os quartos, que ficavam no segundo andar, a agua do chuveiro nao era quentinha e o colchao, forrado com plastico... rsrs

Apanhando logo no primeiro dia... mas valeu! E como valeu! :)



  Na quinta-feira ainda no treinamento, ganhei uma surpresa da minha host family: Um city tour por New York City. O passeio foi fantastico, ao lado de pessoas divertidissimas e no lugar que todo au pair sempre sonhou em estar: NYC!


  Na sexa-feira pela manha foi um transtorno. Iamos deixar a escola e treinamento as 10:30am mas devido a previsao de neve forte, nossa partida foi antecipada para as 9am. Loucura total! Muito frio, muita chuva, os onibus estacionamos longe, as coordenadoras nos apressando no auto-falante e mais uma vez: ninguem pra ajudar!
  Minha parada foi a terceira. Na primeira, foi super emocionante! Todas as meninas olhando pela janela como seria o primeiro contato das primeiras au pair ao encontrarem suas respectivas host families... se iriam dizer um apenas "hello" se iriam apertar as maos ou se rolaria um abacinho... hehe TODAS abracaram! HAHAA Todo mundo dentro do onibus ficou com carinha de emocionada... :p
Quando chegou minha vez, me senti nervosa. Somente minha host mom foi me buscar. Quando entrei na minha nova casa, dei e cara com um cartaz gigante "WELCOME LAIS" e quando entrei no meu quato, na minha cabeceira tinha um porta-retrato com fotos da minha familia do Brasil... os olhos se encheram de lagrimas, emocao total! :)



Mas o pior ainda estava por vir... quando fui pro quarto pra dormir e fechei a porta, escutei o som do silencio e chorei! Me senti sozinha, fiquei com medo, sei laa que meerda me aconteceu, mas chorei...rsrs Mas no dia seguinte ja acordei curiosa para conhecer mais minha familia e lugares arredores... esse negocio de ser au pair e montanha russa total! RSRS hora vc ta meega feliz, hora vc esta mal... mas e esse o objetivo, aprenemos com cada acontecimnto diario, com cada dorzinha e com cada lagrima... vamos aprendendo a dar valor a coisas bestas que antes nem se quer prestavamos atencao... ate sentimos saudades de quem diziamos nao gostar... :)
   Bem, e ha vinte dias no EUAs e quinze na casa da minha host family posso dizer que ja me sinto feliz e adaptada a tudo! Quer dizer, a quase tudo! :p
O coracao aperta quando vejo pessoas que amo pelo skype, me sinto sozinha em alguns momentos e sinto muita falta de comer feijao que nao seja enlatado! :p
  Mas sei que jaja isso tambem vai passar! Jaja estarei mais independente, estudando, fazendo muitos novos amigos e viajandoo!! x)
  E e isso, meu povo! Acho que consegui resumir um pouco do inicio da minha aventura de au pair... muitos posts ainda estarao por vir. Muita coisa ainda ira acontecer. E eu, estarei aqui!Firme e forte para contar tudinho pra voces!

:)))

23/02/2013

Adaptacao


Na minha segunda semana com essa familia, foi onde comecou a aparecer os probleminhas e coisas que nao foram ditas durante o MATCH.

Para comecar ate entao eu nao tinha CURFEW, entao as meninas me chamaram para sair e eu pensei, porque nao?!, afinal de contas eu conheco meu limite e sei ate onde eu posso ir, partindo do principio que eu sei que horas eu tenho que trabalhar e etc..
So, eu fui pra baladinha com as meninas, nao bebi nada porque neh.. tinha que trabalhar no dia seguinte (que por sinal era final de semana, acho que um domingo) ai blz, falei que estava saindo com umas amigas e ela falou que tudo bem entao blz.. fui eu linda e poderosa pra primeira baladinha nos USA com a brasileirada lol Party everyday, me acabei de dancar la e cheguei em ksa as 3 da manha..
Quando abro a porta dou de cara com quem??? O fantasma da HOSTMOM sentada na escada me esperando entrar pra que?? ME DA UM ESPORRO, falando que ja eram 3h da manha e eu tinha que trabalhar no dia seguinte, que eu nao podia ficar ate tarde pq agora eu nao vou durmir o suficiente para poder ficar com os filhos dela no outro dia e blablabla.. MANOOO q raiva q me deu, bateu maior revolts sabe.. toma no c)%#(%$(#@ eu sei das minhas responsabilidades e acordei no outro dia ate mais cedo e fiquei com as pestes o dia todo! Pelo domingaooo

Dica 1: Tenha certeza de que voce realmente nao tem curfew.. nada de “ entao vc nao vai ter curfew, mais se vc tiver que trabalhar no dia seguinte vc tem que ter 8h de sono” FUCKIT

Another point is.. SCHEDULE
A louca da hostmom me botava pra trabalhar ate 1h da manha e no dia seguinte eu tinha que comecar as 7h da manha.. ( Cade as 8h de sono ai?? ) Detalhe, as kids sao grandes, 8 e 10 anos, mais eu nao podia ir dormir depois que eles dormiam, eu tinha que ficar acordada esperando ela chegar na sala enquanto ela tava nos date dela com sei la quem (e nem quero saber..)
Ela nao me dava off no fim de semana, e na minha agencia o 1 dia e meio off tem que ser no fim de semana, ou seja obedecer as normas que eh bom nda!

LIMPEZA
A casa era um lixo, serio mesmo.. comida e tudo que eh coisa espalhada em baixo dos sofas, pela casa a fora.. poeira era de seculos passados.. e ela nao tem ninguem pra limpar a casa! Ai a BONITA veio pra mim com uma LISTA  de coisas que eu tenho q fazer.. que encluia servicos de casa que agente nao eh obrigada a fazer.. 
for example: Varrer a casa, passar pano, vaccum em toda a casa e limpar os banheiros, tirar o lixo e por do lado de fora no dia que o caminhao passa, recolher o baguiu la.. ate as cartas eu pegava! #escravidao
Com isso a AUPAIR aqui comecou a pirar o cabecao neh.. 



HOMESICK bateu, adoeci mais tinha que trabalhar do mesmo jeito.. as kids nao ajudavam em nada, pelo contrario, so infernizava minha vida! E depois ia com cara de anjo reclamar pra mae que eu nao conversava com eles, e blablabla..
Pra PQP eu ia cv com o muleke ele virava pra mim, be quiet!.. Educacao 0 neh..

Sei que na segunda semana comecou meu inferninho particular.. Na terceira semana REMATCH..
Conto pra vcs no proximo post quando o inferninho se tornou um infernoo de verdade!

22/02/2013

Cheguei na California! Meus primeiros dias de USA

Atencao --- Post sem acentos!

Hoje faz 24 dias que ja estou nos Estados Unidos da America :)

Desde a minha ultima semana no Brasil ate hoje tudo foi uma loucura, e ja acho que o tempo esta passando rapido! (E que continue assim...) Nesse post vou fazer um resumao da ultima semana no Brasil, treinamento da Cultural Care e chegada na familia!


Last Days in Brazil

Nos ultimos dias eu tentei viver com o maximo de normalidade possivel... Nem fiz nada de especial! Apenas aproveitei o tempo junto com a familia e namorado. Fui para Sao Paulo um dia antes da viagem, pois nao teria horario pra chegar no dia. Passeei o dia inteiro com meu namorado, que foi perfeito e continua sendo desde que eu cheguei aqui :) Foi estranho, nao parecia que eu passaria tanto tempo sem ve-los... foi triste, mas a tristeza passou rapidinho quando encontrei as outras aupairs na sala de embarque, eu estava la, pronta pra encarar esse desafio! Nunca fiz nada muito desafiador na minha vida e mal pude acreditar que eu estivesse me sentindo tao forte e confiante. Fica a minha dica: lembre-se sempre que vc esta aqui por escolha PROPRIA! Voce escolheu realizar isso... voce esta fazendo tudo acontecer, e embora seja tao dificil ao mesmo tempo eh magico, eh lindo, e compensa muito!

Treinamento da Cultural Care

Comida horrivel? Banheiro nojento com agua gelada? Aulas interminaveis e chatas? Nao vi NADA disso!!!


Meu treinamento foi TUDO DE BOM!!! Sim, a comida nao era um banquete, o quarto nao era de hotel, o banheiro era meio comunitario. Mas e dai? Comi muito bem sim, tem sobremesa e tudo e varias opcoes, tem varias bebidas, eh super tranquilo. Tive uma australiana e uma alema como colega de quarto e foi interessante! Tive aulas separadas por estado, entao vc fica numa sala com umas 20 pessoas, tem tempo de esclarecer todas as suas duvidas com a professora (que por sinal era muito divertida!) e conhece quem vai morar perto de vc. Passamos as noites nos divertindo na salinha que tem la, conhecemos muuuita gente de outros paises que viraram amigos, e nos brasileiras ficamos muito unidas! Saimos fazer compras na lojinha perto, fomos no tour que foi muuuito divertido, passeamos muito, vimos muita coisa, enfim, eu ADOREI e sinto saudades do treinamento, faria de novo com certeza!
Mexicanas, colombianas, francesas, polonesas, brasileiras, italiano...


Vista do meu quarto
  Minha dica: voce esta num pais novo, tudo eh novo, venha com a mente aberta! Eu tentei ver o lado bom de tudo, tentei passar os dias como se eu estivesse numa universidade americana igualzinho nos filmes! E a universidade eh liiinda, entao a vista, o lugar, a energia, a amizade, compensa qualquer banheiro comunitario!

Chegando na Host Family



Vim para Los Angeles com mais 1 menina da Suecia, 1 menino da Alemanha e 1 menino da Franca. Ficamos amigos tambem, conversamos muito, passamos as  6 horas interminaveis de voo todo mundo com o c* na mao morrendo de medo do encontro com a familia. A primeira familia foi a do frances, o pai chegou com as gemeas que ele vai cuidar! Foram muito simpaticos, cumprimentaram a gente tambem. Depois chegou o host dad da sueca com a menininha muito cute... E logo apareceu o meu host dad! Ele entrou sozinho no aeroporto, me entregou um papel escrito "Welcome Pam! C*..., K*... and..."  e nessa parte tinha soh uns rabiscos que meu baby fez *-* Fomos para o carro e la estavam a host com o baby no colo e a entao nanny deles que eh americana. Eu so dei um oi, estava mais perdida que nunca, nem abracei! hahaha.. entramos no carro e conversamos sobre a minha viagem, o baby sorriu pra mim todo simpatico *-* ... Fomos num restaurante, ficamos la umas 2 horas e depois fomos deixar a nanny na estacao de trem pra ela voltar pra Ohio, que eh onde minha host family morava antes. Minha dica: Fale tudo o que der! Peca ajuda se nao sabe! Eu tentei falar o maximo que pude, contar da viagem, perguntar sobre eles, conversei com a nanny, falamos sobre o Brasil, enfim, virei uma tagarela. Afinal a primeira impressao eh a que fica ne? E eu escolhi mostrar que eu sou comunicativa! haha. Pedi ajuda pra escolher a comida, pedi onde era o banheiro, pedi como era tudo. Depois viemos pra casa ja era super tarde, o baby ja estava dormindo. Vim direto pro quarto mesmo, voltei la de pijama pedir a senha da wi-fi descaradamente hahahah! Dei uma ajeitada nas malas e dormi!

E nos proximos posts eu vou contando mais sobre a relacao com a familia, os primeiros dias, o baby, a cidade, as amigas... eh muita coisa!

Aqui no meu blog pessoal tem mais detalhes sobre esses dias e dicas sobre o treinamento da CC:

http://aupairhaps.blogspot.com/

See you :)




19/02/2013

Aquele sobre a indecisão...

Hey Folks, olha eu aqui de novo!! 


Espero que estejam todos bem!! 
Como o meu pai sempre diz 'O ano só começa no Brasil depois do Carnaval' E sinceramente? É a mais pura verdade, tiro isso pelo meu trabalho e até nas ruas mesmo. Aqui em Pernambuco, Olinda já faz prévias de Carnaval ANTES mesmo do ano novo, tem prévia TODA semana, sabem o que é isso?? E Recife não fica pra trás não, é show de 'aquecimento' e festa 'pré-carnaval' que não acaba mais.. São os cinco dias mais esperados do ano e os mais comemorados por todos.
Enfim, é um feriado Nacional e ninguém discute... Mas as Au Pairs?? Piram muito!!
Nesse meio tempo em que eu estou no processo e no período de juntar money + documentação + referências + melhorar experiência, aconteceram mil e uma coisas, e agora estou com o coração a mil e a mente num turbilhão, está sendo muito difícil conciliar tudo, recebi duas propostas que estão me deixando confusa e me fazendo pensar 'e agora? será que é isso mesmo?', me sinto no meio de uma "provação" muito grande, tentando me achar. 
Esse post está bem confuso, eu sei, porque eu estou muito confusa. Sabe quando você reza pras coisas acontecerem de uma forma, só que acontecem de outra e super rápido?? Parece que eu estou vivendo em um filme, vendo tudo acontecer e só olhando, esperando.. Desculpem pelo post meio "vago" no meio de tantos outros, mas é que eu me lembrei de outras meninas que estiveram em situações como a minha e agora eu entendo o que ela estão passando..

No próximo post conto pra vocês o que virá a acontecer, dar entrada no programa agora ou não?? Eis a questão.

That's all, espero que vocês não tenham dormido no meio do post :P

Beijão da Tia Ju

18/02/2013

Apoio da família nesse processo louco!

Apoio da família nesse processo louco!
Olá pessoas!

Hoje vou contar como foi COMIGO o apoio da família quando contei que resolvi ser au pair.

Bom, já sabia como ia ser mais ou menos. Minha mãe não gosta da palavra EXTERIOR e sabia que meu sonho era conhecer o USA, mas para ela era CONHECER, não MORAR! Eu estava no meu último semestre da faculdade, fazendo estágio em uma Multinacional, então imagina se ela pirar com a ideia do programa? CLARO né!
No estágio, meus chefes já tinham dito que a vaga não era efetiva, e que eles iam tentar ver se conseguia aprovação e eu fiquei nessa pendência e confesso que torcendo pra não conseguirem, porém a empresa tinha processo seletivo em outros departamentos, então se eu não fosse efetivada na área que estava, poderia ser em outra.
Nesse meio tempo já tinha começado a pesquisar mais sobre o intercâmbio, até que um dia minha chefe disse que a vaga não ia ser efetivada e então já joguei para ela: Tudo bem, então vou me inscrever no programa de Au Pair ( já tinha comentado com ela do que se tratava o programa ).
Contei pra minha mãe e meu pai. Meu pai ele sempre foi mais calmo e jogou que eu sabia o que eu estava fazendo e se eu queria mesmo, que fosse correr atrás. Já minha mãe ficou indignada, brigou porque eu poderia ter sido efetivada em outra área, ia ganhar bem, ia ter futuro na empresa, achou um absurdo eu estar prestes a me formar e trabalhar de empregada em um outro país com família estranha e bla bla bla.
Ou seja, já deu pra ver dai que ela não ia me apoiar né! E foi assim! No dia em que fui na agência fechar, eu só liguei para ela e disse: Tô indo na agência fechar o programa!
E foi assim durante todo o processo, nos falávamos normal, era carinhosa com ela normal, mas sempre quando alguém tocava no assunto do programa ela já fechava a cara, dizia que não ia dar certo, que meu lugar era no BR, que Deus sabia o que fazer e bla bla bla. E meu pai começou a ser revoltar também...kkkkk, dizia que tava torcendo pra não achar família, e que se achasse não ia dar certo and so on...
Fui desanimando durante o programa, pois fiquei quase 5 meses online até achar minha família e já estava começando a crer que meus pais estavam rezando pra que eu não fosse e por isso não tava dando certo!

Enfim, comecei a desencanar um pouco e deixei as coisas rolarem, foi só fazer isso que minha host family linda apareceu :)

E daí começa aquela correria de visto, documentação, etc e tal....e aí meus pais viram que não adiantou nada eles me falarem todas aquelas besteiras, porque não desisti! E eles não viram outra opção a não ser me ajudar e me apoiar, já que estava quase tudo certo! E foi assim....eles começaram a perguntar mais das coisas, como tava o processo do visto, como seria as coisas aqui e outras coisitas! Mas AJUDAR eles não ajudaram não, eu fiz tudo sozinha, corri atrás de tudo sozinha!

Mas enfim, foi isso! Hoje eles me falarem no skype que estão super ORGULHOSOS de mim não tem preço! :)

Sei que muitas meninas já passaram, passam ou vão passar por isso e digo: SEJA FORTE, NÃO DESISTA!

Beijos


17/02/2013

Sobre matches e ‘dismatches’

Foto: Arquivo pessoal - Central Park


Olá pessoal! Hoje vim falar de um assunto que causa muita ansiedade entre as candidatas a au pair: a espera pela família e o match.
Ansiedade é um sentimento que acompanha cada passo do processo de au pair. Entrar no processo significa que: quem já sofre de gastrite vai ter crises de dor, quem não sofria vai passar a sofrer, quem rói as unhas vai ficar só com toquinhos, quem tem sono leve vai passar a sofrer de insônia braba, quem tem dermatite vai desencadear uma reação de se coçar toda. Aliás, AU PAIR deveria ser a sigla para algo como Aquele Único Problema Ainda IRetornar.
Rsrs.
Calma.
Brincadeiras à parte, a espera primeiro para ficar online, depois pelas famílias, depois para que aquela família que apareceu fale com você, depois o nervosismo dos primeiros Skypes (sem contar com as que passam por outras entrevistas telefônicas intermediárias com a agência para conferir o English), o match, o visto... tudo envolve uma boa dose de nervosismo e ansiedade. Infelizmente, tanta ansiedade e vontade de embarcar logo e dar corpo aos sonhos acaba fazendo com que muitas meninas façam o match com famílias onde acabam não se encaixando, ou onde não souberam fazer as perguntas certas e coisas ficaram no ar, o que acaba criando problemas e atritos diversos com a família quando já se está lá com eles.

Escolher a Family e ser escolhida por ela é uma coisa séria.

Eu costumo falar que existe uma au pair perfeita para cada Family, e uma Family perfeita para cada au pair.
Por exemplo, olha o meu caso: eu tinha carteira de habilitação muito recente, e habilidade quase zero para dirigir. A Family com a qual fechei (e fiquei os dois anos) tinha apenas um bebê e não precisava que eu dirigisse. Eu sou calma, muito ‘na minha’, e a Family tinha só um bebê que no início não exigia grande atividade física ou interação, e depois foi crescendo enquanto eu estava lá até se tornar um lindo garotinho de dois anos, meu companheirinho.
Para várias au pairs amigas minhas na época, minha situação era um pesadelo: passar o dia todo com um bebê, que não fala (no início), não interage do mesmo jeito que uma criança mais velha, que tem que olhar o tempo todo e fazer tudo por ele, e ainda por cima não dirigir nem ter carro. Que situação terrível!
Pelo contrário, para mim parecia muito mais difícil ter que responder aos infinitos argumentos, birras e pedidos de duas ou mais crianças mais velhas, ter que dirigi-las tooodos os dias para a escola e outras atividades, e ainda ter que lidar vez por outra com: crianças doentes que não vão à escola, escolas fechadas por causa da neve, verão com as crianças em casa e au pair tendo que pensar em algo para fazer com elas. Minha rotina já era ficar o dia todo com o bebê, então não tinha esses imprevistos. Ele também não tinha maus costumes, era um bebê! Quando foi crescendo, fui ensinando a ele a guardar os brinquedos quando terminasse, a assoar o nariz, a não correr quando estivéssemos na rua.
Fosse verão ou inverno, eu trabalhava o dia todo e BAM! Tinha noites e finais de semana livres, já que as horas eram bem usadas durante a semana. Não nego que às vezes lamentei não ter carro, mas também nunca precisei pagar uma multa de estacionamento ou ter atrito por causa de gasolina. Não nego também que quando os kids de outros au pairs iam à escola e eles se juntavam para jogar futebol nesse horário durante o dia, fiquei mais de uma vez com vontade de participar, mas estava on duty e a rotina do meu molequinho de estimação não permitia encaixar a saída durante o dia. Mas... em compensação às 6:30 da tarde eu estava livre. Todos os dias, praticamente sem exceção. O qual, principalmente no verão, é uma grande vantagem.
Mais uma vez, lembre: existe uma au pair perfeita para cada Family, e uma Family perfeita para cada au pair.
Avalie! Você se dá melhor com crianças mais velhas ou prefere bebês? Gosta de dirigir? Prefere ficar mais na sua ou precisa da interação, de conversa, de sair? Tem paciência para descobrir o porquê de o bebê estar chorando, não liga para potty training ou prefere não ter que trocar uma fralda e prefere mil vezes lidar com os conflitos de crianças mais crescidas, que podem te dizer com palavras se estão com fome, sede ou tédio?
Avalie! E avalie PRINCIPALMENTE os aspectos negativos antes do que os positivos. Porque, se você por aspectos positivos na balança, a conta acaba ficando entre “mais vantagens” e “menos vantagens”, quando o que você deveria pensar é: “consigo ou não consigo lidar com isto?”.
E principalmente: avalie ONDE O TEU CALO APERTA. Se você não aguenta ficar sem carro, se você não toleraria dividir o banheiro, se se irrita com gato/cachorro, vovó de visita ou viagens em família. Faça perguntas à sua potencial host Family, muitas perguntas! Não tenha medo, pois os americanos costumam ser muito diretos e preferir tudo às claras. Algumas meninas querem mesmo fazer parte da família e ser incluídas em viagens, se for o seu caso, saiba que talvez tenha mais ocasiões em que precise prestar favores por ser “da família”. Se você, por outro lado, pensa que família é uma só e está no Brasil, se não pretende fazer vida familiar e jantar com os hosts, e não pretende ser levada em viagens ou jantares, ótimo. Saiba que pode ser uma situação um pouco solitária. Isto é algo sério e também precisa ser perguntado: veja se as kids parecem carinhosas ou tímidas (o que pode revelar que a au pair é mais ‘babysitter’ e menos ‘big sister’), pergunte aos hosts o que eles esperam da au pair ou do seu comportamento, isso ajudará a saber se você será tratada mais como membro da família ou mais como funcionária. Faça perguntas que testem o senso comum dos pais, sobre schedule, tarefas, mascotes, sobre seus deveres e atividades. Não deixe nada de fora.
Pergunte se os pais são originários da cidade onde moram. Se a resposta for não: ‘oh really? Que interessante! De onde são então?’. Isso já dá abertura para perguntar se costumam visitar suas cidades ou se os avós visitam com frequência. Se a resposta for sim, nasceram na cidade onde moram, então é bom saber se os avós visitam, qual a relação com eles (para saber se terá mais gente no seu pé durante o ano).

Claro que você não vai conseguir prever o que acontecerá nos 365 dias como au pair, mas algumas coisas dá para ter uma noção do que será. Lembre-se: cada grão de areia vai virar uma pedra bem maior depois de alguns meses. Avalie, avalie, avalie. Faça perguntas. Pense friamente. Não desperdice seu sonho por tomar uma decisão precipitada.
Acredite, a Family perfeita PARA VOCÊ vai aparecer. E só você vai saber avaliar a Family perfeita para você, que não vai ser perfeita para sua amiga, para sua colega ou para as outras au pairs dos arredores.

Porque ser au pair não vai ser um mar de rosas os 365 dias do ano, mas a graça está em fazer com que no fim, quando você passar por aquele instante enquanto você se afasta e olha através da janelinha do carro pela última vez para a casa da Family (esperemos que em bons termos) e acredite, nesse momento passa um filme na sua cabeça com todas as histórias que você viveu lá, que esse filme te faça sorrir e pensar que tudo valeu a pena. 

16/02/2013

Escolha da Host Family


Minha mãe e eu no Cirque du Soleil (Atlanta)
Meninas, me desculpem o atraso da postagem. Prometo ser a ultima vez que isso acontece.

Tive que trabalhar o dia inteiro e ainda estou trabalhandooooo......

Vou falar hj sobre a minha escolha sobre a minha family...Sim isso é difícil, porém necessário.

Como eu falei no meu perfil, eu tive 5 entrevistas em 1 semana, não estou brincando, do dia 9 ao dia 15 de Fevereiro tive entrevistas. Fechei com a minha family no dia 16 de Fevereiro, recebi a confirmação dia 20 de Fevereiro. E dia 18 de Março eu embarquei!!!!!

SIMMMM! Menos de 30 dias pra tirar o visto e ter tudo em mão!

A primeira família que me entrevistou foi na California, 2 kids pequenas, primeira au pair a ser entrevistada, consequentemente, nervosismo dos dois lados, eu sem saber o que perguntar e eles sem saber o que falar...E assim ficamos. Quarto, banheiro e carro pra Au Pair, porém não tinha mtos fds.

Segunda família foi de Virginia, 3 kids, gostei da família, porém o bebe estava chorando e ela ja tinha praticamente a au pair em mente, então foi aquela coisa rápida que ela perguntou o que eu fazia e o que eu queria e desligou, essa eu nem mandei email depois agradecendo a entrevista. Quarto, banheiro e carro pra Au pair. Fds tb não todos livres.

Terceira família é de Denver, 3 kids, falamos um monte, gostei muito da host e do host, mas não gostei das kids, assim que eu vi o menino tinha uma carinha de terrorista, ai torci pra não me escolherem, tb foi a promeira entrevista deles, mas eu já estava mais por dentro das entrevistas, então não fiquei tão nervosa!!!! Quarto, banheiro e carro somente de vez em quando, fds tb não todos e curfew.

Quarta familia foi a minha atual, 2 kids, mãe solteira, tudo de bom, eu fui a 4 au pair que ela entrevistou, falamos um monte, emails a vontade, ela foi sincera até demais o que me deu liberdade pra ser tb, falei qual era a minha intenção, falei tudo....sério tudo mesmo...e ela falou tb....rolou o feeling, a simpatia e pimba dia 16 ela perguntou se eu queria o Match. Quarto e carro (posso ir pra lua com ele), Fds e feriados todos livres.

A quinta família foi de Chicago, trigêmeos bebies, falei só com a mãe, porém só ela que falou né! Falou tanto de trocar a fralda, que era 3 filhos, que era trabalho até demais e bla bla bla bla bla bla bla bla!!!!!! Mas dai já não dava mais tempo pra ela pedir match, pq a minha atual chegou primeiro! hehehehehe.... Quarto, banheiro e nao tinha carro, fds sem definição.

O que me fez escolher a família que eu estou é que ela já na entrevista foi sincera e me deu liberdade pra falar, mostrou como era o sistema da casa, falou o que queria de mim, tudo o que estava incluso, em fim...Eu me dois super bem com eles, a familia inteira é super legal, tenho super liberdade pra dar bronca nas crianças e falar que ta errado, ensinar e tenho liberdade pra falar não pras kids.

Lóooogico que não é perfeito, não vou mentir, mas algumas dicas importantes:

-Não venha com família sem carro, a não ser que seja cidade que realmente tenha um bom transporte público.
-Curfew? Nem pensar, vc vai fazer amizade e vai querer ficar até mais tarde e ai não vai poder e isso vai ficar chato e vai fazer vc ficar de saco cheio uma hora.
- Banheiro, se vc não liga de dividir, legal, mas se vc liga, não venha sem banheiro só pra vc. Eu divido com as kids, vou falar, tem que ter paciencia, pq ela fica batendo na porta e eu dou bronca o tempo inteiro.
- Dinheiro, se vc conseguir juntar, meu legal se não gaste saudavelmente.
- Promoção tem em todos os feriados importantes. Sim 70% a 90% de desconto. PIRO numa promo....
- Carro, a gasolina vai subir e abaixar o tempo inteiro, então faça sempre sua rota, assim economiza no gas...
- Carona, meuuuuuuuu é legal dar carona, mas porfaaa não se faça de free taxi.
- Não beba e dirija, isso te faz ir pra cadeia! As vezes é melhor ligar pra host do que pegar uma DUI ou até mesmo chamar um taxi...melhor pagar $50 do que $10.000.
- Se vc não quer a family que esta fazendo entrevista, desconversa, fala sobre vc e seus planos muda o foco das kids, as familias daqui querem escutar vc falando de criança, afinal vc vai ficar com elas mais do que os proprios pais, não precisa falar não...Só muda o foco pra sua carreira e fala que vc quer estudar bastante então assim que tiver o match vai procurar as aulas....essas coisas...Pega o feeling se tiver cachorro fala que gosta de gato...em fim...

Eu estou começando o meu segundo ano com a mesma family. Estou feliz. Tenho projetos de fazer meu mestrado.

Qualquer dúvida, podem me perguntar ou me add no facebook...

Até mais....

Rafaaaaaa

13/02/2013

Ninguém escapa da montanha-russa

É muito comum au pair falar sobre essa tal montanha-russa de sentimentos. Se você ainda não sabe o que é, certamente um dia saberá e, se você já sabe, vai se identificar com este post. Não é novidade para ninguém que é preciso ter muita determinação e força para sair do conforto de casa para se aventurar em um país que não é seu e com uma família que, teoricamente, também não é sua. Mas, mesmo os fortes tem aqueles dias de fraqueza onde todas as perguntas começando com “Por que?” vêm sem parar na cabeça.
Funciona mais ou menos assim: você vai dormir se sentindo a pessoa mais privilegiada do mundo, pois teve a oportunidade viajar para outro país, ter contato com outra cultura e tem uma Host Family maravilhosa. Porém, você acorda na manhã seguinte se perguntando “Por que eu estou aqui?”, “Por que decidi vim para os EUA e quebrar a cara sozinha?”, “Por que eu trabalho no domingo?”, “Por que meus amigos estão indo pra balada e parecem não sentirem falta de mim?”. Então, todo aquele sentimento de alegria e satisfação que você sentiu na noite anterior, quando seu carrinho da montanha russa estava no auge do percurso, vai por água abaixo, literalmente da noite para o dia.
E aí que entra a parte mais difícil. É aí que você precisa provar a você mesma o quão forte é. Depois que o carrinho da montanha-russa está lá embaixo e você está se sentindo um nada, é hora de começar a subir novamente, lentamente, assim como faz quase todas as montanhas-russas, rumo ao topo. Tem que deixar o desânimo de lado, responder a todas as perguntas nunca se esquecendo do foco principal do porquê você quis ser au pair e seguir em frente.
E isso não é homesick. Isso é crescer! Isso é provar pra você mesmo o quanto você é capaz. O quanto você está sendo madura para enfrentar todas as perguntas de cabeça erguida e sem desistir. No final do seu programa, não há nada mais compensador do que você olhar pra trás (principalmente lembrando os momentos mais difíceis) e se orgulhar por não ter desistido, por mais que esse fosse o sentimento mais forte no momento!
É esse sentimento que eu quero desejar a todas vocês! Sejam fortes e provem do gosto da vitória no final do programa. Sentimento de tarefa cumprida.
Parabéns para quem já conquistou esse sentimento e, para aquelas que ainda estão percorrendo este caminho, sejam fortes, pois vale muito muito muito a pena!
E lembrem-se, podem me enviar email camila_mayuri@hotmail.com se quiserem trocar ideias sobre assuntos deste mundo que escolhemos para nossas vidas.
 Um beijo!

12/02/2013

Amizades e a importancia de time OFF

Amizades e a importancia de time OFF
O ano de au pair reserva muitas surpresas para cada uma. Desafios, alegrias, tristezas, viagens....Mas uma das coisas principais que mais marcaram e fizeram meu ano valer a pena foi sem duvida ter feito amizades para a vida toda. Tenho varias meninas da epoca do programa no meu Facebook e vejo como as amizades feitas aqui estao rendendo no Brasil ate hj, uma virando madrinha de casamento da outra, uma virando madrinha do bebe que vai nascer, outras viajando juntas, morando juntas...enfim! Amizades sinceras que se formaram aqui. Coisa de irmas mesmo!

Por estarmos em um pais "estranho", nos apegamos com facilidade a pessoas que estao aqui passando o mesmo que nos. Por isso acho super importante dar uma pesquisada na regiao que a familia mora, saber se tem au pair por la (se for Brasileira, melhor ainda!), se eh perto, se voce vai poder dirigir e ter tempo off pra aproveitar essas novas amizades...  porque passar o seu ano sozinha, nao eh  nada legal! Eu amava as minhas host families mas nao via a hora de ficar off e ir encontrar minhas amigas, seja pra ir no shopping, pro drive-through do McDonalds ou pra sleepover. Esse tempo eh necessario pra sua saude  mental, entao se puder, escolha uma familia onde vc vai ter este tempo off pra aproveitar pra se divertir, viajar,estudar (Final de semana off, evenings off eh tudo!...)

Os grupos de au pair voce vai descobrir aqui que sao como um grupo de terapia! E sem tempo para aproveitar essas amizades, eu acredito que a possibilidade de rematch aumenta, porque voce vai ver todo mundo se divertindo, viajando e voce la, com uma schedule de dar do, toda louca, nao fixa...not fun!

A parte dificil de estar aqui ha  mais tempo porem eh sem duvida ter que me despedir desses anjos que Deus colocou no meu caminho aqui. Acho que pra quem fica, essa eh a parte mais dificil.

Entao escrevi este post abaixo no meu blog pessoal (http://marthasachserphotography.zenfolio.com/blog/2013/1/friendship)  pra um desses anjos que Deus colocou no meu caminho logo quando cheguei aqui e que hoje, estamos com um oceano de distancia entre nos, mas continuamos e continuaremos BFFs.

Muitas amizades pra vc no seu ano! Ate a proxima!

http://marthasachserphotography.zenfolio.com/blog/2013/1/friendship

11/02/2013

Vistos...

Vistos...
Visto.. na minha opiniao a parte MAIS CHATA DO PROCESSO!!!
 
Quem acompanha o grupo "Au Pair" deve ter visto algumas postagens minhas recentemente.. eu estou pensando seriamente em ir para o Brasil em abril, e solicitar um novo J1! Mas eu estou "com medo", porque essa eh a parte mais "complicada" do processo, quem garante que o consul "ira com a sua cara" e vai me dar o tao esperado/sonhado/desejado SIM!
 
Pelo que eu jah li/pesquisei.. eu posso ficar dois anos seguidos nos EUA, e sim.. eu ficaria LEGALMENTE, a agencia me daria um novo DS, massss.. com o visto vencido, eu nao posso sair dos EUA! Eu nao tenho planos de fazer viagens internacionais.. a vontade de ir para o Brasil eh mais para visitar a familia/amigos.. matar a saudade de tudo e de todos, dar um "up" para aguentar firme e forte mais um ano na "terra do Tio Sam".. cuidando das kids! (porem.. se eu for mesmo para o Brasil.. eu vou aplicar para renovar meu visto!)
 
Meu visto vencera em maio (DICA: voce que fechou com a family mesesssss antes do embarque, nao tire seu visto com muita antecedencia!! Eu fechei com a familia em marco.. para embarcar em agosto!! Tive 5 meses "para organizar a minha vida", e a mulher da agencia Experimento me encheu tanto o saco para tirar logo o visto, que eu acabei indo no consulado em maio.. e minha viagem era soh no FINAL DE AGOSTO). Eu tinha planos de ir ao consulado em julho.. caso meu visto fosse negado eu ainda teria tempo de pedir outro! Eu "sabia" que nao era bom tirar o visto com tanta antecedencia, mas nao lembrava porque (alguem tinha me falado algo sobre isso ha muito tempo.. mas "eu nao dei tanta importancia").. e de tanto a mulher falar na minha cabeca, eu fui! (no treinamento eu (re)descobri o porque!). O visto tem validade de UM ano (contando da data que voce foi ao consulado).. mas a sua legalidade nos EUA eh a data do DS.. que eh carimbado quando voce entra no pais. Entao eu tenho um visto que vence em maio.. e um DS que vence dia 20 de agosto! Mas ai no treinamento eles falam que a gente nao pode sair do pais com o visto vencido.. e eh bom sair com pelo menos 1 mes antes do visto vencer (para conseguir entrar "sem problema").
 
Se eu quiser mesmo ir para o Brasil.. eu tenho ate abril para fazer isso.. se nao, eu fico... presa!
 
Enfim.. como o meu "dilema atual" eh sobre o visto.. hoje eu vou contar sobre o meu primeiro visto (eu jah tinha esse post, por isso esta TAO detalhado, com meses depois disso eu nao lembraria tantos detalhes se fosse escreve-lo agora! rs)...
 
Eu peguei o processo de "mudanca no sistema do visto".. CASV + Consulado! 
 
Passo a passo de como foi o processo: primeiro você precisa “fazer um cadastro” no site do CASV (Centro de Atendimento ao Solicitante do Visto), preencher o DS – 160, pagar a “taxa única” (antigamente você pagava taxa para agendamento, taxa do visto e taxa de entrega, agora eh uma unica taxa - pode ser paga com cartão de crédito, cartão de crédito pelo telefone e boleto bancário – no site do CASV tem tudo explicadinho – e caso você opte por pagar com cartão de crédito, vale a cotação do dólar do dia que você efetuou o pagamento!) e faz o agendamento dos “dois dias”, aparece um calendário com as datas disponíveis, primeiro para ida ao CASV, e depois, para a entrevista no consulado. Eu tirei meu visto no Rio de Janeiro (ouvi tanto as meninas falarem que "era mais facil".. mas para mim "nao foi"!!), o processo lá é mais rápido que em São Paulo, eu consegui agendar o CASV para um dia, e o consulado para o dia seguinte!
 
Eu agendei minha ida ao CASV, para uma quarta-feira às 15h, eu sai cedo e cheguei no local antes das 13h, almocei por lá e quando foi umas 14h fui para a porta do CASV, perguntei se eu teria que esperar até às 15h, e me informaram que eu já poderia entrar – estava vazio! Antes de eu entrar (na rua mesmo) eles tem uma lista com o nome e horários das pessoas, eles confirmam seu nome e horário e já pediram minha documentação (se não me engano, foram: passaporte, DS – 160, DS – 2019 + taxa sevis, comprovante de agendamento e comprovante de pagamento).
 
Depois da documentação separada você entra, e tem tipo “um caminho” feito com aquelas “fitas divisórias” e tem uns “3 pontos de parada”, nos dois primeiros eles checaram meu nome + horário de novo, depois a documentação novamente, ai você chega em um balcão, ele pede pra confirmar alguns dados pessoais (tipo nome, CPF, RG) e pede para confirmar o endereço aonde o visto deverá ser entregue (hoje em dia eu nao sei como esta sendo a entrega.. porque ouvi um papo que a DHL estava tendo problemas com essa logistica "de entregar os passaportes").. feito isso, eles já te encaminham para as “cabines”, lá eles olham de novo sua documentação, colhem as digitais e tiram a foto (para a foto, eu tive que tirar o brinco, colocar o cabelo para trás - mostrando testa e orelhas – e evitem camisa de cor branca/muito clara.. isso era recomendado no processo antigo, quando você tinha que levar uma foto 5x7, eles recusavam foto com camisa branca, e fica estranho mesmo, fundo branco + camisa branca)! Ráa.. a mulher, mesmo com minha documentação nas mãos, me perguntou 4x.. “você não é menor?”.. hahaha, desculpaê “cara de novinha!”.. =P
 
No CASV foi muito rápido, não demorou nem 10 min.. as únicas coisas que eu fiz lá, e não fiz no consulado, foram tirar a foto e confirmar o endereço para a entrega do visto (TODO MUNDO checa seus documentos).
 
No dia seguinte, uma quinta-feira, minha entrevista estava marcada para às 11h, peguei trânsito no Rio, mas cheguei no consulado quase 10:30h, ai tem aquela filinha básica.. e grande!
Os vermelhinhos (funcionários do consulado) organizaram pelo horário de agendamento, e pelo que eu percebi, ainda tinha gente das 10h na fila, fiquei sabendo que aquele dia eles começaram o atendimento mais tarde (9:30h.. e normalmente começam às 7:30h), enfim.. eles passam, conferem seu nome + horário na lista deles e pedem a documentação (que já foi “separada no CASV”), ai eles conferem de novo e falam que “você só precisa daquilo” (mas eu tinha mais uma pasta com outros documentos para “provar” possíveis perguntas/respostas na hora da entrevista). Ai você espera.. espera.. espera... (no consulado NÃO PODE ENTRAR COM QUALQUER ELETRÔNICO, e tem muitas pessoas que “trabalham guardando seus aparelhos”, parece ser seguro.. mas eu não precisei do serviço porque uma amiga estava comigo, e ela ficou com as minhas coisas – não pode entrar acompanhante!).. eu não entendi, mas quando chegou quase 11h, os agendados das 11h passaram na frente de um monte de gente e enfim entramos no consulado (vai ver eles deixam os “atrasadinhos” para depois). Sua bolsa/pasta passa na esteira do raio X e você passa pelo detector de metais, ai você entra no salão e fila novamente, essa fila te leva para um balcão onde os funcionários pegam sua documentação e fala para você sentar e aguardar (nesse salão tem uma “lanchonete improvisada”, caso você tenha fome, tem essa opção.. e o processo demora!), ai você fica lá esperando.. até que de repente vem um funcionário com a mão cheia de “passaportes + documentos” (em algum momento.. dessa de sempre mostrar o passaporte + documentação.. eles amarram tudo que será usado com um elástico) e começa a chamar pelo nome, e depois que você pega o seu + uma senha branca, você vai para outra.... fila! É hora de recolher a digital novamente...... estava tudo muito bom, tranquilo, certinho, até que... eu era a última dessa fila, ai quando você chega no guichê você tem que mostrar/aproximar do vidro o passaporte que esta com aquela documentação toda amarrada e eles escreveram um código em um dos papéis, ai o tiozinho digita esse código e pede para você colocar os dedinhos na paradinha, eis que eu encosto no aparelho... o alarme do prédio dispara, foi muito “sincronizado”, eu até assustei, e mesmo com o alarme berrando, ele colheu minhas digitais e eu voltei para o salão... todo mundo sem entender NADA (o salão estava cheio), no salão tinha uma luz que ficava piscando + alarme, ai começou uma mensagem em inglês (eu não entendi o que a mensagem falava.. porque falava rápido, mas já sabia que era merd@), ai o cara que estava do meu lado (ele tinha o inglês fluente) começou a rir e falou: “só pode ser brincadeira!”.. e nisso os seguranças já vieram “gritando” pra todo mundo sair do prédio.. evacuar!! Ai sai TODO MUNDO.. e todo mundo fica ali, na rua, em frente ao consulado, se fosse uma bomba, morria todo mundo! haha.. todos os funcionários do consulado sairam e foram “pra longe”, pelo que eu percebi eles devem ter um “plano” pra quando algo do tipo acontecer, porque TODOS os funcionários foram para a mesma direção, até os funcionários que estavam na rua organizando a fila. Ai depois de uns 20-30 min eles voltaram, entraram no prédio, e começaram a organizar tudo de novo, e falaram “quem já estava na fila para entrevista e os que tem a senha branca.. podem entrar!” (eu fui a última a receber a senha branca.. \o/), esse “fato” bagunçou TUDO, quem estava esperando na rua, deve ter esperado MUITO mais até normalizar tudo, enfim.. eu estava dentro! Lá dentro, as pessoas entraram.. sentaram e esperaram! Até que todos que já estavam na fila da entrevista chegaram e foram fazer a entrevista, depois que normalizou eles começaram a chamar novamente as senhas brancas.. agora para a etapa final.. a entrevista! Ai quando eles te chamam, você vai para... outra fila! É uma fila bizarra (no consulado do Rio de Janeiro), vários guichês, você entra na fila pelo lado direito, ai depois você passa pra fila do lado esquerdo (mas essa fila “bagunçada” é devido ao layout do local), até chegar sua vez e você ser encaminhada para ficar na frente de algum guichê esperando a pessoa terminar a entrevista e você ser a próxima! (nem preciso falar que esse é o momento MAIS tenso.. porque nessa hora você já esta escutando a entrevista dos outros, ai você vê visto sendo aprovado, visto sendo negado, o jeito que cada funcionário faz a entrevista, tem gente que pergunta MUITO, tem gente que pergunta pouco, tem gente que pergunta em português, tem gente que pergunta em inglês.. enfim, você vai “traçando o perfil do estilo de cada entrevistador” e rezando para cair em determinado guichê que pareça ser “simples”... teve uma hora que eu estava MESMO prestando atenção em uma entrevista e o funcionário fez uma “brincadeira” com o cara e eu ri.. ai o funcionário percebeu que eu estava atenta a conversa.. esse cara parecia ser gente boa, mas eu não cai com ele!
 
Tinha um outro tiozinho que só faltou perguntar o tipo sanguíneo na entrevista que ele fazia, eu rezei pra não cair com ele.. e não cai!! Thanks God! =]
 
Enfim.. a fila fluiu e eu fui para o meu guichê, cai com um cara que eu não tinha “traçado o perfil”, mas eu fiquei escutando a entrevista da tia que estava na minha frente, o visto dela “foi negado”, na verdade ele disse que não poderia aprovar o visto dela naquele dia (não entendi o porque), mas a tiazinha ficou brava e elevou o tom de voz, falando que estava indignada, que ela já tinha ido para os EUA 3x, que nunca teve o visto negado, que ela tinha um irmão que morava na Califórnia (acho que ela só ia visitar ele), ela disse que nem ia ficar ilegal no país dele (falando para o funcionário), que ela era proprietária de uma rede (?) famosa no estado do Rio de Janeiro, que ela não tinha mais tempo para solicitar o visto antes da viagem programada para os EUA porque nos próximos dias ela ia viajar pra Europa.. blá blá blá, ela fez meio que um barraco, mas saiu de lá sem o visto! Ai é minha vez... (+/- o dialogo)
 
Eu: Boa Tarde! (sorrindo.. tentando disfarçar o nervosismo!!)
Ele: Boa tarde, é a primeira vez que você vai sair do Brasil?
Eu: “Não, já viajei para o México!”
Ele: “Quando e por qual motivo?”
Eu: “Em 2002, fiquei uma semana, e foi turismo!”
Ele: olhando para o computador.. “Você entrou nos EUA pelo México?”
Eu: “Não.. foi só uma semana, em Cancun!”
Ele: “O que você vai fazer nos EUA?”
Eu: “Au Pair!”
Ele: “O que você faz da vida?”
Eu: “Atualmente estou me preparando para ir para os EUA, eu parei de trabalhar em dezembro para organizar/fazer o intercâmbio!”
Ele: “Onde você trabalhava?”
Eu: “Em um Studio de fotografia.”
Ele: “Responde em inglês!”
Eu: “In a Photo Studio!”
Ele: “Qual seu nível educacional?”
Eu: “Sou formada em Administração, pela Universidade Federal Fluminense!”
Ele: “Responde em inglês!”
Eu: “I have degree in Business. I studied at Universidade Federal Fluminense.”
Ele: “Seu ingles é bom!”
Eu: “Pode ser bom, mas não é fluente! Eu preciso de um inglês fluente para tentar um bom emprego na minha área!”
Ai ele saiu do guichê.. foi lá pra trás, demorou uns 5 min, e voltou!
Ele: “Você fala inglês, é formada em uma universidade boa, e quer ir para os EUA cuidar de crianças?”
Eu: “Eu preciso melhorar meu inglês, e o Au Pair é o programa de intercâmbio com melhor “custo x benefício”!”
Ele: “Qual sua experiência com criança?”
Eu: “Eu fui voluntária em uma escola infantil e tenho uma sobrinha de 6 anos!”
 
* Ele ficava olhando o computador.. teve uma hora que ele até “coçou a cabeça” e fazia cara de “indignado”, mas não cabe a ele me julgar, julgar a minha decisão de largar tudo e ir ser babá no país dele. Ele estava inconformado, eu até “entendo”, porque ele deve ser “fod@”, tipo.. ele é um negro bem sucedido, e mesmo no século XXI, eu ainda acho que existam preconceitos e julgamentos na terra do Tio Sam, e para qualquer um trabalhar em um consulado em outro país, a pessoa tem “bagagem”! Ai ele.. vê uma pessoa, recém formada em uma boa universidade, indo ser babá........... enfim, estou indo mesmo!!
 
Ele: “Onde você mora?”
Eu: “Lorena/SP!”
Ele: “O que o seus pais fazem?”
Eu: “Ambos são aposentados.. meu pai é militar e minha mãe funcionária pública!”
Ele: “Responde em inglês!”
Eu: “Both are retired! My father was a military and my mother was a public official!”
Ele: sem olha para mim “Seu visto foi aprovado! Só aguardar em sua residência!” – e joga meu passaporte em uma caixa!
 
E eu saio de lá felizona!! =]
 
Eu fui ao CASV dia 16 de maio de 2012, ao consulado dia 17, o visto chegou em casa dia 23 (1ª tentativa de entrega da DHL.. não tinha ninguém em casa).. mas eu só recebi dia 25!
 
Eu não recebi o e-mail da DHL para você acompanhar a entrega!
 
Tirando a entrevista que foi meio tensa.. de resto foi “simples” e rápido! =]
 
Mas nao acaba ai.......
 
Na madrugada do dia 12 para 13 de agosto de 2012.. estava eu, no grupo que as meninas criaram para quem ia embarcar no mesmo dia, estavamos todas ansiosas, trocando informacoes, quando a Jacque FRISA na conversa.. "DS CARIMBADO EEEE ASSINADO"!!! Ai, eu jah estava com a documentacao toda organizada, mas me bateu uma "curiosidade" e eu fui ver meu DS.. eis que.. CADE O CARIMBO E ASSINATURA??? Quando eu recebi os documentos de volta do consulado, eu conferi TUDO.. tipo, TUDO que eu deixei no consulado voltou.. e o passaporte tinha o "adesivo" do visto, para mim estava tudo bem... deixei tudo organizado/guardado! Ai comecou a me dar um desespero.. eu tirei foto do meu DS e postei no nosso grupo.. e as meninas falaram mesmo que estava faltando o carimbo/assinatura! Na mesma hora (madrugada) mandei e-mail para a agente.. e "nao consegui dormir". No dia seguinte.. acordei com o telefonema da agente falando que ela tinha entrado em contato com o consulado de Sao Paulo, que eles tinham checado no sistema e estava tudo bem... ai eu falei: "mas eu tirei meu visto no Rio.. tudo bem?", ela falou que sim. Passou 10 min a mulher liga de novo falando: "voce precisa entrar em contato com o consulado do Rio, e voce tera que ir laaaa pegar a assisnatura e carimbo!". Pensa.. minha ultima semana no Brasil, com todos os minutos planejados, voce ter que bater lah no Rio de Janeiro por um erro deles (eu nao ia arriscar colocar a documentacao no correio a essa altura do campeonato.. meu voo era no domingo!). E para ajudar.. quarta-feira era feirado! Comecei a ligar para o Rio de Janeiro.. era mais facil falar com o Papa do que com o consulado americano do Rio de Janeiro. Mandei e-mail, e depois de algumas horas eles responderam pedindo para eu escanear meu DS. Mandei o doc escaneado, e recebi um e-mail com pedido de desculpa pelo erro deles, e que eu deveria comparecer ao consulado o mais rapido possivel! Eu nao lembro porque mas nao podia ir na terca-feira, quarta-feira era feriado, e eu "agendei" para quinta. E para ajudar o horario de bus para o Rio de Janeiro, saindo da minha cidade, era uma maravilha (sqn)! Meu almoco de despedida com a minha familia estava marcado para quarta, teve que "ser corrido".. porque eu tinha que pegar o bus para o Rio (tinha que ir na vespera.. para conseguir estar no consulado "no horario agendado" - 12:00 pm). A unica coisa boa dessa bagunca toda foi que eu conheci o filho da minha melhor amiga, ele tinha nascido ha poucos dias.. e com essa loucura de "ultimos dias antes da viagem" eu nao estava encontrando tempo para ir para o Rio de Janeiro visitar eles! Quinta-feira cheguei no consulado umas 11:30 am, e o cara falou que meu caso era rapido! Mas me deram "um cha de cadeira", eu expliquei que horario de bus para a minha cidade era ruim, que eu precisava pegar o bus 1:30 na rodoviaria, bla bla bla.. mas eu fui ser atendida quase 1:30 (rapido neh!? ¬¬). Ai quando enfim eu conseguirchegar no guiche, o cara me encheu de pergunta, e o "neguinho" que me atendeu e fez a merd@ toda estava no guiche do lado, rolou meio que uma outra entrevista, mas ai eu jah estava "relaxada" porque o visto eu jah tinha, enfim ele assinou e eu sai do consulado! Ai eu fui tentar ligar para os meus pais, mas tinham manos no orelhao (Rio de Janeiro neh!?).. haha, fui atravessar a rua e tentar os outros orelhoes, mas ai no meio da rua olhei para o bus "Rodoviaria", ai o motorista abriu a porta, e eu entrei.. soh queria sair do Rio! Quando eu sentei no busao.. eu chorava que nem crianca (e as pessoas olhando para mim sem entender, sem poder imaginar o porque! E eu "com vergonha", mas eu nao conseguia "me controlar", um "filme passando pela minha mente", porque esse processo/decisao para ser Au Pair NAO FOI NADA FACIL).. haha, meo... que perrengue!! As coisas nunca sao simples para mim.. se nao eh sofrido, nao eh Corinthians, nao eh Fernanda Lescura! HAHAHA.. cheguei na rodoviaria.. e busao pra minha cidade soh 4:00 pm.. tomei outro "cha de cadeira" de mais 2h.. fui chegar em casa 22:00 pm, para quem tinha mala e mais um milhao de coisas para fazer antes de embarcar, perder quase dois dias por um ERRO DOS OUTROS foi tenso! Mas no final deu TUDO CERTO.. and I'm here!! =]
 
Entao.. meninas, quando o DS chegar, CONFERE PARA VER SE ESTA ASSINADO E CARIMBADO!
 
Por TUDO isso, eu estou bolada em ir para o Brasil, eu posso simplesmente ir, ficar com minha familia e voltar... e ficar presa (2o ano), massss.. se eu estou indo para lah, porque nao tentar um novo visto??! Vai que surge uma oportunidade de fazer uma viagem maneira.. eu estou afim de arriscar!
 
Se voce conhece alguem que renovou o visto recentemente.. let me know!! ;)
 
Have a nice Sunday!

09/02/2013

Era uma vez um MATCH e uma host family quase perfeita!


Bom meninas, I have no idea how start this post lol.. a parada foi a seguinte:


Once upon a time, estava eu quetinha na minha casa no Brasil quando recebi o meu primeiro contato com uma host family *-* aquilo neh, ja passavam-se 4 meses de enrolacao da agencia pra me deixar online, eu ja estava desempregada e nao aguentava mais continuar naquela situacao “em cima do muro” .. eu nao sabia se tentava arrumar outro emprego ou se esperava o match.. tava num beco sem saida.. Eis que surge a tal familia.. 2 kids, uma menina fofa de 8 anos e um menino de 10, mae solteira, quarto “gigante” no basement, carro so pra mim, criancada fica na escola ate 3h da tarde, schedule muda toda semana e aparentemente quase nao se trabalha, no curfew, liberdade total lol .. Segundo a ex-aupair a familia perfeita, com o schedule perfeito!!

Dica 1: Nunca acredite na ex-aupair, especialmente se ela for de outra nacionalidade!

1 semana: Host mom paranoica, tentando fingir ser legal.. Kids problematicas.. exaupair na casa durante toda a semana.. schedule ok..

Dirigindo: A lazarenta da exaupair foi me levar pra dirigir e ficava botando a mao no volante e puxando ele, ao inves de me dar a direcao antes ela so metia a mao na por** do negocio. Ai chega em casa e fala com a  host q eu nao sabia dirigir.. TOMAN*** ela nao queria tb nao neh..

Comida: Tentando me adaptar com a comida, a unica coisa que tinha na casa pra comer era chicken nuggets, pizza de calabreza e bagel.. ou seja, 1 semana de regime forcado!

Quarto: O tal do quarto gigante era uma puta farca, o quarto mesmo era do tamanho de um closet, o resto era o basement onde ficava as tralha das kids e a laudry, so que ai tinha um sofa cama e a tv do lado de fora.. sem privacidade nenhuma! No quartinho da empregada a cama era no chao, tipo um berco sabe.. totalmente desconfortavel.. fora que so faltava nevar la de tao frio que era!

Cidade: Como era no interior, tudo era longe e fechava as 9 da noite.. ou seja, tedio mortal.

Amigos: Os melhores que eu fiz ate hoje!! Amo as amizades que eu construi la e sei q vo levar algumas forever.. Ta ai uma coisa boa do US sao as amizades que voce pode fazer! As que eu fiz la me alimentavam ja que a alimentacao da minha hostfamily era super perfeita neh.. #soqnao


Fato bizarro da 1 semana: La estava eu com as kids e a exaupair brincando do lado de fora de casa, quando o vizinho do lado ( aparentemente mo gato, sarado, skatista, 30 e poucos anos ) sai no quintal e fica la brincando com o cachorro ( um poodle ) .. dai a menina vem me falar pra nao dar conversa pra ele que ele era estranho e tals.. ( 30 e poucos anos e mora com os pais no USA eh super estranho, e a familia eh de judeus ).. ai eu.. blz, nao vo da confianca neh, cheia de recomendacoes contra o cara e pa.. qndo de repente eu olho pro quintal dele.. o SUJEITO NAO ME ABAIXA AS CALCAS E MOSTRA O PINT* .. Mano, serio.. sabe qndo vc congela pq vc nao acredita no que ta vendo e quer ter certeza que eh real! Hauhauah a pior reacao de todas, ficar congelada olhando pras partes do vizinho sarado.. hauhauhauha a exaupair vira e olha e ve o mesmo e vem me perguntar.. e eu la.. entao eu acho que sim neh.. hahaha CARALHO DE CARA MALUCOOO MANO.. Onde ja se viu abaixar as calcas e comeca a praticamente se masturbar com criancas brincando na rua!


Minha primeira semana ja comecou HOT neh galera lol.. 
A segunda semana comeca com chilique da hostmom, schedule retardado, sozinha com as kids, mais fome e vizinho retartado.. homesick

Por mais que eu queira contar tdo duma vez, vo contar por partes pra nao ficar sem nda pra depois lol mais as dicas de hoje sao::
Dica 1: cuidado com vizinhos, amigos, irmaos, ou pessoas relacionadas a sua host family.. evita se envolver e sempre procura saber antes.. nunca se sabe se eh um louco que convive do seu lado!
Dica 2: chegar na casa e ficar 1 semana com a ex aupair em muitos casos eh a pior roubada.. ela ta na casa dela e voce se sente uma intruza.. fora que as kids nao interagem com vc, nao te escutam e ela passa todo o seu "relatorio" do jeito dela pra hostfamily.. Ou seja, ela pode queimar o seu filme logo de cara!
Dica 3: Nao fique com vergonha de perguntar se vc nao entendeu algo, tente se comunicar nos momentos que voce tiver oportunidade.. e por mais que seja dificil nao se deixe intimidar!

Por hoje eh isso pessoal! =*

08/02/2013

Tax information!





O ano novo chegou, e com ele o período que nós a classe pobre odeia: O pagamento do imposto!

Muitas meninas ficam na dúvida sobre pagar ou não, eu já vim pra este país sabendo que pagaria o tal do imposto, pois pretendo fazer mais coisas aqui e não quero ter nada que me impeça de ficar. O meu valor não ficou tão alto ( quer dizer... U$$ 288,00 é muito dinheiro para uma Aupair) Anyway, meus fofos resolveram pagar o meu imposto e parcelaram em suaves prestações lol

O imposto é obrigatório Ágata? Obrigatório não é, este país é muito grande para eles verificarem um por um  e pensarem : Acho que esta Aupair não pagou, vamos lá buscar o que é nosso!

Enfim, se você está disposta a pagar vou fazer um passo a passo que pode te ajudar e muito na hora de preencher o formulário.


  • Você precisa ter um "Social security number or Tax ID number.


Ainda não tem Social Security number e quer pagar a sua tax? clique aqui para encontrar o posto mais próximo de você e faça hoje mesmo a sua.
  • Calcule quanto você ganhou durante o ano de 2012.
Por exemplo: Você esteve por 30 semanas no ano de 2012 e ganhou $ 195.75 por semana
O seu total deve ser: 30 X 195.75 = $5872.50 = $ 5873 ( sempre arredonde o valor pra mais).
  • Preencha o formulário 1040NR-EZ ( Este é o formulário que deve ser usado pelas Aupairs)

Pra ficar mais fácil ainda, step by step!

  1. Insira o valor total que você recebeu no ano de 2012 na linha 3, linha 7 e linha 12 ( 30 X 195.75 = $5872.50 = $ 5873 ).
  2. Eu não tive nenhuma dedução, e de acordo com a minha LCC, Au Pairs não tem dedução, então, coloque 0 na linha 11.
  3. O "exemption amount" do ano de 2012 é de $ 3,800 - linha 13 
  4. O valor da linha 12 menos o valor da linha 13, o resultado, coloque na linha 14.
  5. Procure o valor a pagar na tax tables (Página 21) coloque este total na linha 17 e na linha 25.
  6. Não se esqueça de assinar o formulário no final.
  7. A parte mais difícil já passou, hora de preencher a página 2.
  8. Coloque "Brazil" na linha A e United States na linha B
  9. Coloque não para as linhas C,D e F
  10. Coloque J1 na linha E.
  11. Na linha G, coloque a data que você chegou nos EUA, e coloque as datas que você deixou o país para fazer alguma viagem. Conte os dias que você esteve nos EUA e coloque na linha H.

Prontinho, depois disso envie o valor a ser pago juntamente com o formulário para o endereço:


Department of the Treasury
Internal Revenue Service
Austin, TX 73301-0215

Espero ter ajudado, qualquer dúvida deixa um comentário ou me mande um e-mail que eu respondo!

Beijos,

Ágata.






07/02/2013

A Decisão!


Oi voltei, no meu ultimo post eu falei sobre meu estado no caminho de Au Pair, e vou tentar manter mais ou menos uma ordem cronológica e vou deixar todos os links dos meus posts no começo.

Bom, hoje vou falar sobre a decisão de ser Au Pair, afinal esse é o primeiro passo.
Então, o que nos levou a decidir entrar nessa vida louca?

Basicamente, para ser Au Pair você provavelmente (ou com certeza):

*  Tem o sonho de morar fora
*  Tem problemas em casa
*  Tem pouco dinheiro

Talvez você tenha os três, mas pelo menos o primeiro e o ultimo com certeza!

Eu, como todas nós, sofri a lavagem cerebral dos filmes americanos e sempre sonhei em morar nos Estados Unidos, claro que até ano passado eu não sabia que havia opções acessíveis para isso (como eu queria ter cursado o colegial lá fora L)

Então você se depara com os intercâmbios que são disponíveis.

Tem aquele que você só estuda por alguns meses, o que você estuda e trabalha em locais turísticos, o que você estuda e trabalha em uma empresa... (Mais informações em qualquer agencia de intercâmbios)

Bom, acontece que esses tipos de intercâmbios são muito caros, e a maioria não te dar nem um ano morando nos Estados Unidos.

Então você vai pagar certa de 20 mil reais pra ficar seis meses morando fora? Não compensa.

Uma das maiores vantagens do programa Au Pair é o tempo que temos para viver legalmente. O programa pode ser de até dois anos com um custo em media de quatro mil reais. Olha a diferença!

Além disso, a vantagem de ter um contato maior com nativos é enriquecedora, afinal você estar em contato 100% do tempo com a “realidade” deles.

E por fim temos as vantagens de poder estudar e receber um salário, desse jeito a Au Pair tem como manter seus gastos sem precisa de ajuda da família. Em outros intercâmbios ainda seria necessário uma reserva para pagar as despesas durante a estadia no outro país.

Ta tudo muito lindo, mas claro que não poderiam ter só vantagens. Nos já embarcamos (ou pelo menos deveríamos) sabendo que estamos indo para trabalhar e que vamos passar por dificuldades. Já li inúmeras historias de Au Pairs que passam sufoco com as famílias.

Mas colocando na balança, eu acho o programa muito bom no custo x beneficio e é por isso que tem tanta procura no Brasil todo.

Claro que grande parte das garotas não estão preparadas para passar por essa experiência e acabam tendo mais problemas ainda por não saberem lidar com a host family, com homesick, com a independência...

Meu conselho é que é uma decisão que tem que ser pensada, repensada e pensada mais umas cem vezes, temos que analisar os pros e contras, planejar o que queremos desse intercâmbio e como vamos chegar lá entre muitas outras coisas.

Mas se vocês estão prontas pra essa jornada... Se joguem!

Por hoje é isso e no próximo post vou falar sobre definir e diferenciar metas, planos e projetos... Bjinho!
Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial