10/03/2017

COMO APRENDER INGLÊS SOZINHO


Hey Folks Tudo bem?

Hoje vou falar sobre um assunto que deixa muita gente preocupada: O INGLÊS! 


Ainda mais no processo do intercambio o qual PRECISAMOS ter, pelo menos, o nível intermediário e passar por testes da agencia.

Eu vivi um drama, pois a primeira vez que morei nos EUA (em 2014), não sabia NA-DA de inglês! Sério na-di-nha... Sempre estudei em escola Pública e nunca fiz curso de inglês (até porque odiava estudar inglês – sempre gostei mais de espanhol “Hola ¿Qué tal?”). Eu vim para os EUA justamente para aprender inglês. E aprendi! Em 6 meses! Mas foi com muiiiiiita dedicação (e muiiiita mímica também haha).

Eu sei que não é todo mundo que tem a oportunidade de estudar inglês fora do País ou até mesmo fazer um curso de inglês no Brasil (que além de longo é caro!), então eu pensei em deixar aqui para vocês algumas dicas de como aprender inglês sozinho que me ajudaram e que se eu soubesse antes não teria “sofrido” tanto para aprender outro idioma.

DICA 1 – SE FAMILIARIZE COM O IDIOMA

Mude o seu computador, celular e outros eletrônicos para o idioma inglês. Muita gente quer aprender inglês e não faz o MÍNIMO para isso acontecer... a primeira coisa que fiz foi mudar o idioma dos meus eletrônicos para o inglês. Faça o mesmo com suas redes sociais (Facebook, Instagram etc) desta forma ficará mais familiarizado com o idioma e será mais uma maneira de desenvolver alguma imersão neste conteúdo. Outra dica bem bacana e usar o GPS do carro em Inglês também, o que vai ajudar a entender as direções em inglês mais rapidamente.

DICA 2 – APRENDA COMO UM BEBÊ

Como assim? Eu explico: Você já viu um bebê aprendendo gramática? Onde fica o sujeito na frase, lista de verbos, pontuação etc.? Não? Nem eu! A criança aprende a falar ouvindo, naturalmente (por isso a importância de sempre estar exposto ao idioma). Não fique focando suas energias em traduzir o que foi dito e sim em entender o contexto! Eu moro nos EUA faz 2 anos, falo somente em inglês e continuo sem saber 100% do significado das palavras; meu foco é sempre no contexto da frase e desta forma eu entendo o que está sendo dito e agrego sempre novas palavras ao meu vocabulário.

DICA 3 – ASSISTA FILMES, LEIA E OUÇA MUSICAS EM INGLÊS

Bem clichê, mas bem real. Seguindo a dica acima você tem de se familiarizar com o idioma e como você não mora em um País onde a língua oficial é o inglês nada melhor que utilizar-se de filmes e músicas em inglês para ficar habituado ao idioma. No caso das músicas; escolha uma música que você goste em inglês, procure a tradução e cante junto para aprender inclusive a pronúncia. Depois de um tempo você começa a entender o significado das palavras e vai se habituando ao idioma. Quando você começar a entender as músicas mais facilmente tente ouvir podcasts em Inglês. No começo você não entende NA-DA mas com o tempo as coisas começam a fluir...
O mesmo com os filmes e seriados: assista-os em inglês com legenda e depois, veja o mesmo filme sem legenda e tente entender. Serio! Eu acho que não tem coisa melhor que os filmes pois neste caso você pode visualizar inclusive o contexto envolvido e ter uma melhor compreensão.
Para desenvolver a leitura em inglês você pode escolher um tema que você goste (pode ser beleza, decoração, viagens etc.) e ler blogs em inglês. Além de encontrar conteúdos legais você ainda estuda!

DICA 4 – PRATIQUE!

Existem muitas formas de praticar o idioma, desde comunidades no WhatsApp, vídeos no Youtube, sites que possuem conversação entre nativos americanos e pessoas de outros países, Apps como o duolingo e até mesmo clubes de conversação em inglês em livrarias e outros locais que facilmente você encontra na internet e tudo free! Outra dica que recebi de um amigo do Cazaquistão (valeu Gani!) era de que ele não tinha com quem praticar então ele falava sozinho mesmo! Haha “como assim? Vão me chamar de louco! Calma vou explicar: você pode ir descrevendo o que está fazendo (ou o que vai fazer) em inglês (pode ser mentalmente também) e vai formando frases em inglês, exemplo: “Now I will wash dishes and then I will study english”. Viu só, não tem desculpa! E se te chamarem de louco, pelo menos será um louco bilíngue haha.

DICA 5 – ESTUDE!

Serio! Não existe pílula mágica para você aprender inglês o que fará você melhorar com relação ao idioma (e em tudo na vida) é a pratica constante. Faça um roteiro de estudo semanal e esteja em contato com o inglês DIARIAMENTE! Escolha assuntos que gosta, filmes, seriados, músicas, blogs, vídeos no Youtube, podcasts, comente em blogs em inglês assim você aprende muito mais rápido pois são assuntos que você tem interesse.

Agora não tem desculpa! É praticar, praticar, praticar ... e logo, logo você vai estar cantando todas as músicas da Beyonce ;)
-LET'S DO THIS!


Espero ter ajudado, se tiver alguma dúvida deixe uma mensagem nos comentários que vou responder com muito carinho.

Um beijo e até a próxima,

Com amor,


Bruna Gonçalves.

03/03/2017

Ônibus em Long Island - NY




Salve salve galerinha

Mais um post de utilidade pública

Quando me mudei pra Long Island tive muita dificuldade pra entender como funcionava o transporte público, mais especificamente as linhas de ônibus,
Eu não encontrei muitas informações na internet e foi difícil  perguntar pra quem mora aqui porque as pessoas que eu conheço geralmente não usam esse tipo de serviço. Host family ryka! hahaha

Mas pra quem não tem carro próprio como eu, uma hora ou outra a gente tem que se virar.
Eu já tinha ouvido boatos que os ônibus aceitavam o MetroCard (O mesmo usado em Manhattan), até que um dia uma amiga precisou ir pra um curso e confirmou essa informação. 
Eles realmente aceitam esse cartão, e como os ônibus de NYC, eles também aceitam Quarters, que são as moedas de 25 cents.

O preço atual (março/17) é $2,75.

Long Island é operada pela empresa Nice Bus e todos os horários e rotas podem ser consultados no site oficial www.nicebus.com. Todas as informações são confiáveis e verídicas.
E como de costume (americano), os ônibus são extremamente pontuais... Eu recomendo ainda chegar antecipadamente alguns minutinhos do descrito no site.

Os motoristas em geral são bem secos mas respondem um "Good Morning", o ônibus é bem espaçoso e a tecnologia é admirável. Em todas as paradas o letreiro avisa onde o ônibus está e quando chegar a sua parada é só puxar a cordinha que tem do seu lado, esperar o ônibus PARAR, (em cima do ônibus tem uma luz verde, é necessário que a luz esteja pra poder abrir a porta), esperar a luz verde ascender, empurrar a porta e pronto!

Pra quem está fazendo a viagem pela primeira vez, é só traçar o caminho no Google e você terá uma noção das paradas que o ônibus fará durante a viagem e onde deverá desembarcar.


Espero ter ajudado!!
Xoxo,
Jessica





08/02/2017

1 ano de Au Pair: como o intercâmbio mudou a minha vida!

     
   
Hoje, 8 de fevereiro de 2017, faz exatamente 1 ano, 12 meses, 52 semanas, 366 dias que cheguei aos Estados Unidos. Um ano atrás, mas lembro como se fosse hoje quando eu embarquei nessa aventura, meu coração era um misto de sentimentos, a cabeça era totalmente fechada, meus olhos tinham visão limitada e meu corpo parecia preso à minha zona de conforto. Talvez esse último seja explicação de todo o resto, eu nunca tinha deixado minha zona e, por isso, era tão limitada. Mas eu mudei, graças a Deus, mudei e mudei muito, na verdade eu acho que apenas me revelei para mim mesma. E hoje quero compartilhar  essa mudança e/ou revelação, o que mudou na minha vida em 1 ano, como o intercâmbio me fez ser quem eu sou hoje. Na verdade, para quem me conhece antes do intercâmbio, será como uma reapresentação de quem eu me tornei. Quero dizer, de quem tenho me tornado, pois sei que amanhã já não serei mais a mesma!!
Pois bem, sempre ouvi falar de que os pais não criam o filho para si, mas sim para o mundo e isso nunca fez tanto sentido na minha vida, até que eu descobri o mundo. Eu era a pessoa mais dependente que conhecia, em todos aspectos, achava que não iria sair das asas dos meus pais tão cedo. Mas eu sai, demorou 25 anos mas eu voei e voei mais alto que um dia pudessse imaginar e mais do que isso, completamente sozinha. Com certeza, eu não sou mais a mesma de 1 ano atrás, aquela menina tímida, introspectiva, mimada, dramática, dengosa, imatura e dependente conheceu uma versão totalmente diferente de si mesma, tem se tornado alguém que ela sempre gostaria de ser, mas que, talvez por estar tão acomodada onde estava, com o papel que exercia há 25 anos, não conseguia.
O intercâmbio me ajudou a ampliar minha visão, percebi que, realmente, a estrada vai além do que se vê e o mundo também!! O mundo é bem maior do que eu imaginava que seria, tenho conhecido gente de lugares que, se não tivesse saído da minha zona de conforto, jamais conheceria (inclusive do próprio Brasil). Ampliar a visão de mundo me ajudou a ter uma mente mais aberta, logo eu que era tão mente fechada rsrs E, manter a mente aberta é essencial para o intercâmbio. Se você tiver ou permanecer com ela fechada, não conseguirá ir muito longe, será muito difícil de você se aproximar de pessoas com cultura tão diferente da sua e a adaptação ao novo poderá ser bem mais complicada.
Tenho aprendido que estar sozinho sigimifica encontro consigo mesmo, pois é quando estamos a sós que desfrutamos melhor da nossa companhia, colocamos os pensamentos no lugar o que pode criar desordem e conflito, conflito de quem você era para quem você está se tornando. E como durante o intercâmbio, é muito comum os tempos a sós, pensamos mais, pensamos e repensamos sobre nossos sonhos, o que deixamos para trás, o que queremos com todo esse aprendizado. É na desordem dos pensamentos e sentimentos que nos descobrimos, que nos revelamos para nós mesmos, que nos esvaziamos de tantos rótulos que colocaram em nós. Na zona de conforto, quando conhecemos alguém precisamos, de certa forma, manter que somos, porque as outras pessoas já tem um conceito que quem somos nós e precisamos manter isso. Mas quando estamos sozinhos de todo mundo que a gente conhece, é diferente. Quando conhecemos alguém, estamos mais vazios e ao mesmo tempo mais transparentes. Vazios de rótulos, de conceitos e transparentes de quem realmente somos, pois não precisamos manter um rótulo, podemos ser nós mesmos, aliás somos nós mesmos sem nem dos darmos conta. Por isso, é comum que as pessoas que você conheça durante o intercâmbio saibam mais da sua vida do que as pessoas que te conhecem a vida inteira. Porque quem te conhece a vida inteira, conhece a imagem que você tentou passar mas quem te conhece no intercâmbio, conhece a pessoa que você está acabando de conhecer, ela vai te conhecer ao mesmo passo que você está se conhecendo.
Por isso, eu digo que cheguei à conclusão de que eu não mudei, apenas me conheci aqui, longe de todo mundo, em um lugar totalmente novo, com uma cultura diferente, falando nova língua e totalmente sozinha. Nesse 1 ano de intercâmbio, descobri que eu sou completamente diferente do que eu achava que era. Descobri que sou forte, mesmo em meio à fraqueza; corajosa, ainda quando acho que não sou capaz; determinada, até quando penso em desistir; mente aberta, sem lugar pra julgamentos (pelo contrário, tomei pavor deles); paciente, já sabia que era mas não sabia que tanto; sonhadoras mas agora sei o que preciso fazer pra realizar meus sonhos e independente, que foi o que mais estive em busca durante a minha vida, mas permanecendo na zona de conforto, jamais me tornaria.
Pra quem sonha com o intercâmbio, deixo um conselho: venha! Mas venha com a bagagem de rótulos vazias, principalmente os rótulos negativos, deixe tudo o que pensam de você para trás, coloque na bagagem apenas o que você pensa de si mesmo e/ou quem você gostaria de se tornar e venha disposto a se conhecer a cada dia,  talvez essa revelação de si mesmo seja dolorosa, mas vai valer a pena, assim como todo o resto do intercâmbio.
E que venha mais 12 meses de intercâmbio. Ah! Depois volto pra dizer se sou a mesma de fevereiro/2017.


PS: sei que essa publicação foi um pouco mais pessoal, mas eu espero que possa inspirar as pessoas que, assim como eu, tenha medo de se sentir sozinho principalmente em meio ao novo!

03/02/2017

Como ligar para o Brasil dos Estados Unidos

Oie gente,
Meu post desse mês é de utidade pública.
Uma das maiores dúvidas que eu tive aqui nos Estados Unidos era como fazer ligação para o Brasil.
Acredito eu que a internet tem ajudado a matar a saudade em 99% dos casos, mas a gente sempre tem aquela tia ou avó que não sabe lidar com tecnologia e a gente fica morrendo de saudade.
Em um determinado momento do intercâmbio eu tive um problema pessoal e precisei fazer algumas ligações para o Brasil. (Telefone fixo e etc).Cheguei num mercadinho bem simples e perguntei a eles se tinham "cartão telefônico pré pago".
E comprei esse da foto, que se chama Boss Revolution.
(Que ainda estou in love diga-se de passagem)
Paguei $10.

Importante: Para fazer o cadastro e receber o código de confirmação é necessário um número de celular americano.
Depois de comprado, eu fiz o dowload do aplicativo na Play Store, fui seguindo os passos, digitei o código que veio no cartão e pronto.
É meio demoradinho mas não é um bicho de 7 cabeças.
Como eu disse anteriormente, paguei  $10 mas quando fui fazer meu cadastro ganhei mais $2 de bônus.
O aplicativo em si é bem simples, você digita o DDI + DDD + O número e no cantinho superior da tela ele sempre mostra o seu saldo, então você consegue calcular o quanto ainda pode falar. Eu li meio correndo e entendi que seriam $2 por minuto, então fiz as ligações super correndo, falei rápido e foi horrível né... hehe
Assim que você finaliza a ligação, ele mostra o tempo e o valor da ligação.
E eu demorei um pouco pra entender que o valor na verdade era 2 CENTAVOS de dólar (2 cents) por minuto... na verdade é 2,7 cents
Um exemplo: 48 minutos de ligação ficou em torno de $1,23. Esse é meu pai, fiquei com preguiça de editar o contato e salvei do jeito que minha mãe havia me mandado.  hehehe
Quando eu descobri fiquei em êxtase.
Eu acredito que liguei pra 50% dos meus contatos, pais, irmãos, tios, meus avós <3 e amigos.
(Liguei até pra uma amiga que está morando em Dubai, eu só não sabia que era 6h da manhã lá 😂) As ligações podem ser feitas para o mundo todo. 
Esse ano novo enquanto esperava dar meia noite, liguei pra todo mundo de novo e matei a saudade que nessa época do ano parece que vai matar a gente.
Eu recomendo e muito!
A qualidade da ligação é excelente e a ligação não fica caindo (se caiu 1x foi muito).
E outro positivo é:
Você consegue comprar "créditos" pelo próprio aplicativo com cartão de crédito ou débito.
AVISO: eu não sei direito como as ligações são feitas, se elas passam por um redirecionamento ou algo assim.
O que já me falaram é que a ligação aparece como se fosse de São Paulo...
Então cuidado pra não matarem ninguém do coração. (Pessoal pensou que eu já estava de volta).
Eu também não explorei todas as opções, talvez tenha como usar o Wi-Fi ao invés da rede do celular, no meu caso não é muito viável pois a casa que eu moro é muito grande e o sinal do Wi-Fi quase não chega no meu quarto. 
Se alguém souber mais "truques" sobre esse aplicativo e quiser acrescentar mais alguma informação, será sempre bem-vindo.
Eu espero que vocês gostem e aproveitem tanto quanto eu.

Xoxo,
Jéssica

10/01/2017

Cristã e au pair: consigo continuar com minha vida cristã e encontrar uma igreja nos EUA? (Igrejas nos EUA)

Hi Folks,

Tudo bem por ai? Aqui nos EUA esta tudo lindo, maravilhoso, praia, sol, calor ...só que não! haha  somente um friozinho BÁSICO de -18 °C.

Mas tudo bem... esta ótimo para ver filme e tomar chocolate quente =)

Hoje vamos falar sobre igrejas nos EUA. Eu sei que muitos cristãos tem algumas duvidas com relação às igrejas aqui nos EUA: se vai encontrar a mesma denominação que frequenta no Brasil, como é a doutrina ou como funciona aqui. Então acalma este coração e vamos lá!

 Como são as igrejas nos EUA

Bom eu não fui em TODAS as igrejas aqui e eu sou evangélica então eu não tenho idéia de como é a igreja Católica aqui (desculpem). Sobre as igrejas evangélicas, se você morar em alguma cidade pequena provavelmente você vai encontrar várias igrejas Luteranas e Metodistas, algumas Batistas e Assembléia de Deus, e por vezes a igreja Bola de Neve, Videira e outras. Também temos muitas Igrejas novas que partem da Assembléia de Deus com outros nomes, mas seguem a mesma doutrina.
Eu frequento duas igrejas da Assembleia de Deus aqui nos EUA e não é a mesma coisa que no Brasil. Parece mais uma Batista, eu gosto muito pois tem um grupo de jovens grande e um estilo mais "Hillsong". 
Assim como as "células" no Brasil, aqui nos EUA eles possuem "life groups" que são grupos menores de cristãos que se reúnem para pequenos cultos e apoio. Ainda temos: todos os tipos de aconselhamento (jovens, casados, mulheres, homens etc), missões (as igrejas fazem muito aqui), trabalhos voluntários para a comunidade (eu sou voluntária em um abrigo com um grupo da igreja e amo este trabalho), grupos de oração, estudos bíblicos e de livros, cultos online... tudo muito parecido com o que temos no Brasil em grandes igrejas.
Uma coisa que eu não gosto muito era que minha igreja no Brasil tinha mais cultos durante a semana e final de semana e eu gostava muito de ir durante a semana, aqui as pessoas só vão no domingo e a igreja geralmente possui apenas 2 cultos dominicais e somente pela manhã. Algumas igrejas possuem outros cultos durante a semana... mas não vai muita gente.

Aqui você encontra muitas igrejas e as pessoas são na maioria cristãs. Então se você esta preocupada (o) com isso não precisa ficar! Se você esta no centro da vontade de Deus, fazendo o que esta nos planos dEle, esta tudo certo! Ore a Deus e Ele irá sempre te guiar para o bem.

Se você é cristã e ainda não veio aos EUA tente procurar alguma igreja próxima do local que você esta pensando em morar, veja o site e procure saber mais sobre a igreja e doutrina. Visite as igrejas e com base nos ensinamentos da bíblia avalie se as práticas são coerentes com o que o Espirito Santo te diz através da Palavra de Deus.

Fique em paz, fique na paz que só Deus nos traz. 


Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem se desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar (Josué 1:9)

Espero ter ajudado,
Com amor,







01/12/2016

Minhas viagens

Olá gente bonita! Hoje eu vim aqui contar um pouquinho pra vocês das minhas viagens, que foram várias em apenas 13 meses como au pair.
Eu cheguei nos EUA em junho de 2012, e a minha primeira viagem foi em setembro. A partir daí, toda e qualquer oportunidade que eu tive, eu viajei! :D


Em ordem, os lugares que eu conheci: Nova Iorque - NY, San Antonio - TX, San Francisco - CA, Los Angeles (Hollywood, Malibu, Santa Monica, Venice, Beverly Hills...), Grand Canyon - AZ, Las Vegas - NV, Baltimore - MD, Annapolis - MD, Washington DC, Saint Louis - MO, Miami - FL, Orlando - FL, Chicago - IL. Ao total foram 7 viagens e vários estados.
A maioria das minhas viagens aconteceram em finais de semana, quando eu viajava na sexta-feira e voltava no domingo. Eu sempre negociava com a minha host a sexta-feira à tarde livre quando eu queria viajar, afinal, eu trabalhava 10h/dia, então na sexta-feira de manhã eu já havia completado as 45h, assim eu iria viajar e não fazia nada de hora extra.
Muitas meninas já vieram me perguntar como eu fazia pra planejar minhas viagens e pra conseguir viajar tanto com o salário de au pair. Bom, não tem nenhum segredo... E eu planejei quase todas as minhas viagens, mas em algumas eu tive ajuda pois fui viajar com boas amigas :) ainda vou voltar com um post contando como eu fazia pra organizar meu dinheiro.
Quando fui a NY não gastei tanto, pois muito passeio lá é de graça, como visitar o Central Park ou a Times Square, e pra ajudar, ainda fiquei na casa de uma amiga (valeu, Bru!!). A Bru eu conheci indo pros EUA, pois fomos no mesmo vôo do Brasil pra lá, assim como a maioria das meninas que eu revi nessa viagem também, pois combinamos de nos encontrar lá. Foi muitoooo legal!!
Na segunda viagem, pro Texas, eu fiquei na casa da Taila, uma querida que tenho como amiga até hoje. Ela quem fez meu roteiro praticamente, pois ela morava e conhecia tudo por lá. Eu só dei alguns pitacos.
Aí, na terceira viagem, onde fiquei mais tempo - pois eram as minhas primeiras férias, eu planejei junto com as meninas que viajaram comigo - também foram meninas que conheci no vôo BR-EUA. Nessa viagem fomos pra California, LA, AZ e Las Vegas, durante uma semana.
A primeira viagem de 2013 foi pra conhecer Washington DC, onde fiquei em Baltimore, na casa da Carol - que conheci no grupo "Au Pair com namorado", do Face. Nessa viagem também conheci a Bruna e outras meninas muito queridas do grupo.
Minha próxima viagem foi pra Saint Louis, e foi minha primeira viagem de trem. Fiquei na casa da Francys, da Venezuela, que eu havia conhecido anteriormente em Kansas City (onde morei).
Minha segunda viagem de férias foi pra Miami e Orlando, onde visitei os parques da Disney e também fiquei uma semana, como na primeira vez. Essa viagem eu planejei completamente sozinha, pois não tinha companhia pra ir nas datas em que eu poderia. Em cima da hora consegui encontrar duas meninas através do face, uma que eu nunca havia falado, mas que foi uma querida - a Vany, boliviana, e ainda acompanho ela no Face hoje em dia, e depois a Tami me achou num post do Face e se juntou a nós. Foi muito bacana! Acho que fiz um bom planejamento, hehe. Pra Miami uma amiga que morava em Kansas tbm foi comigo, a Lia.
E pra encerrar meu ano como au pair, eu fui pra Chicago com a minha melhor amiga da época, e uma das minhas atuais melhores amigas, a Roberta.

O meu objetivo principal quando eu fui pros EUA, foi estudar. Eu sou formada em design gráfico e me apaixonei pela fotografia nas minhas aulas, então virei fotógrafa em 2010, e queria explorar o mundo. Fui estudar fotografia nos EUA, mas meu sonho mesmo era fazer intercâmbio na Europa - o que não foi possível no momento por causa do valor. Por essa razão, fui pros EUA e estudei tudo o que eu pude :) porém, já que eu estava lá, eu não podia perder a oportunidade de viajar, né??
Essa é uma das coisas que eu mais sinto saudade em ser au pair: a facilidade de viajar. E não é porque no Brasil é caro que eu não viajo, mas sim porque era simples pedir uma sexta-feira de folga e achar uma au pair companheira pra viajar ou pra me acompanhar na cidade que eu estava. No Brasil todos estamos trabalhando, na loucura do dia-a-dia, além de ser caro, não é simples pedir uma folga no trabalho ou ter o sábado livre (eu trabalho aos sábados). Mas posso dizer que, nesse quesito, eu aproveitei muito bem o meu ano de au pair e conheci muitos lugares! :) tem coisas que eu faria diferente? Com certeza tem...mas tudo valeu à pena, e no final eu faria tudo outra vez.



Queria ter ido a mais lugares? Com certeza... Não realizei um dos meus sonhos, que é conhecer o Hawaii, assim como não conheci Boston, que também queria muito. Mas a vida é feita de prioridades, e naquele momento foi o que eu pude fazer e pra onde eu tive companhias ótimas pra ir.

Em breve eu volto com posts contando um pouquinho mais de cada viagem e com fotos e dicas dos lugares por onde passei. Todo dia 1º estou aqui postando (com exceção do mês passado, que fugi...rs, desculpa!).

Beijos!!!

10/11/2016

Saudades das delicias do Brasil? (Como encontrar alimentos parecidos com os brasileiros)

Hi Folks, Tudo bem?

Eu costumo dizer que depois da minha família (e do meu gato) o que eu mais sinto saudades é da comida brasileira. Já me vem a cabeça aquela coxinha de frango, pastel, churrasco, farofa, pão de queijo, pudim... e por ai vai...



Algumas receitas nós até conseguimos reproduzir aqui nos EUA mas as vezes não encontramos exatamente os mesmos ingredientes ou algo parecido (já que catupiry e requeijão não tem - #todaschora - vai de cream cheese mesmo!).

Pensando nisso eu encontrei esta lista com alguns alimentos que podemos substituir e até mesmo encontrarmos no mercadinho mais próximo e assim utilizar em nossas maravilhosas receitas brasileiras.

Espero que ajude! vamos lá:



Espero que assim como eu, você tenha ficado feliz de encontrar esta lista =) e boooora cozinhar!

Com amor <3.

Bruna Gonçalves



| lista retirada do blog frombraziltoyou.org

08/11/2016

Amizade de Intercâmbio ❤️

Amizade de Intercâmbio ❤️
Hello peopleeee,

                 Hoje faz exatamente 9 meses que cheguei nos Estados Unidos e, como todo dia 8, fico bem nostálgica, com os pensamentos e sentimentos aflorados rsrsrs Hoje me peguei pensando muito como foi meu início aqui, os temidos 3 primeiros meses, conhecidos como a fase de adaptação, a qual pode ser ruim ou boa. E, percebi que a minha experiência foi bem difícil, por estar completamente sozinha nesse País. Demorei um pouco pra fazer amizade aqui, por não ter carro, morar longe e ter chegado no inverno. Daí comecei a pensar o quanto foi e é importante pra mim as amizades que conquistei aqui. Graças a Deus, muita coisa mudou a partir daí. E é sobre isso que gostaria de compartilhar com vocês, sobre as amizades que fazemos no intercâmbio!!
                  No Brasil, eu era uma pessoa bem social, conhecia muita gente e tinha muitos amigos. Então, isso foi uma das coisas que mais me chocou quando cheguei aqui, a falta de amizade. Conheci algumas meninas, mas não era possível vê-las com muita frequência por não ter carro e morar longe  (conforme já foi dito rsrs), mas mesmo assim, cheguei em fevereiro e as conheci final de março. Hoje em dia, conheço mais gente, tenho algumas amizades verdadeiras, tanto no estado que moro (Maryland) quanto em outros (gente que embarcou junto comigo e considero como amigo)!!!
                   Vinicius de Moraes com toda sua sabedoria disse que "A gente não faz amigos, reconhece-os". Antes essa frase não tinha tanto sentido pra mim, mas hoje vejo que ela é verídica. Quando olho para as amizades que conquistei aqui percebo que realmente as reconheci. Mas, o que de diferente ou igual tem em uma Amizade de Intercâmbio?! Pra começar, é um tipo de amizade completamente diferente das outras. Quando embarcamos, ainda que seja com um grupo de pessoas, embarcamos sozinhos, chegamos esvaziados de relacionamentos físicos, pois todos os que tínhamos ficaram no Brasil. Aqueles amigos de anos, que você nem lembra mais como conheceu, os amigos que você considera como irmãos ficaram lá também, até os mais recentes, seus familiares. Enfim, todo mundo ficou por lá, claro que a amizade continuará, só não fará mais parte do seu dia-a-dia. E todo mundo que embarca contigo, embarca sozinho, tá todo mundo no mesmo barco, sentindo e vivendo as mesmas coisas. O reconhecimento de amizade começa daí, porque são essas pessoas que entendem, com exatidão, o que você está passando. Mas essas pessoas não ficarão com você pra sempre, em 5 dias, terá mais despedida, cada uma vai pro seu canto. Aí você chega na cidade que vai morar, novamente sozinho fisicamente. Não dá contar tudo pra sua Host Family, porque mesmo ele sendo ótimos, talvez não entendam a dificuldade que é estar sozinho, fora que seu inglês também não lhe permite contar muita coisa rsrs
                Enfim, daí novamente você se vê sozinho, tem gente que consegue numa boa viver sem amigo, não tiro o mérito dessas pessoas, mas eu faço parte do time do Tom Jobim,  acredito que sim "É impossível ser feliz sozinho"! Eu realmente gosto de boas amizades, gosto de ter pessoas boas ao meu lado, que acrescentem algo na minha vida e que, de alguma forma, eu possa agregar algo para elas também, ainda acredito na amizade verdadeira, ainda bem! Mas, voltando ao assunto, quando você se sente sozinho, aprende a dar valor a cada detalhe de cada pessoa que você conhece e aprende também o que não merece tanto valor assim, aprende que as pessoas são mais importantes do que as coisas e que não importa o programa do final de semana, o que importa é a companhia. A amizade que você reconhece no intercâmbio não é uma amizade qualquer, é uma amizade que, embora tenha pouco tempo, é forte e sincera (quando é de verdade). Seu amigo, não é apenas seu amigo, ele é amigo, irmão, primo, tio, pai, mãe... é a sua família, é, literalmente, tudo o que você tem aqui! E é incrível a conexão que você cria com seus amigos de intercâmbio, às vezes eles te conhecem mais do que seus amigos da vida inteira, não sei se porque no intercâmbio chegamos crus, vazios, sem máscaras, despidos de julgamentos e conceitos já formados, não precisamos ser alguém que todo mundo já estava acostumado que fossemos, podemos ser nós mesmos. Inclusive, é no intercâmbio que muitas pessoas conhecem a si próprias. A amizade é tão forte que, provavelmente, seus amigos de longas datas não vão acreditar que essa amizade é pra valer! Mas ela é!
              Sem dúvidas que, as amizades são os melhores frutos que tenho colhido no meu intercâmbio! Agradeço muito a Deus por cada pessoa, cada amigo reconhecido que Ele tem colocado em meu caminho, pois certeza que se não tivesse saído do Brasil, não teria tido a chance de conhecer pessoas e amigos incríveis que tenho conhecido!!
              Pra quem está no intercâmbio também: valorize muito cada pessoa e/ou amigo que você tem e conhece, nada é por acaso e ninguém entra em nossa vida em vão!
              Pra quem está pra vir: venha! Mas venha despido de si mesmo e dos outros, totalmente aberto para todo o tipo de gente que vai conhecer aqui, venha sem medo de ficar sozinho ou sem amigos, na solidão também nos reconhecemos  e nos tornamos amigos de nós mesmos!!

Um beijo no coração de vocês e até a próxima!

02/11/2016

Halloween

Esse ja é o meu segundo Halloween aqui, e o que eu posso dizer: É A DATA MAIS DIVERTIDA!!!



O halloween é uma das datas mais esperada aqui no Estados Unidos, como muita gente não gosta e Carnaval no Brasil, tem também muita gente que não gosta de Halloween aqui. Digo isso pois no Trick or Treat aqui onde eu moro, muitas casas não participam, não enfeitam as casas e muito menos entregam doces pras crianças.

Mas o que eu posso dizer com toda certeza é que toda Au Pair tem que participar, pois é muito divertido e uma experiência única!

video
Essa foi a casa mais assustadora do meu bairro!!!

Saia com as kids, faça questão de colocar uma fantasia, e principalmente ache atividades interessantes e diferentes pra fazer com eles, vale muito a pena e a recompensa é uma criança feliz e cansada hahahhahahaha

Aqui vai uma dica do que eu fiz e foi super produtivo, pegamos pirulitos e papel de seda pra fazer fantasminhas e abóboras, nada muito dificil e nem muito demorado (pois dependendo da idade das crianças eles não tem muita paciencia para atividades que levam muito tempo).

Tem várias vídeos legais no facebook que ajudam na criatividade, vou deixar aqui um que me inspirou: https://www.facebook.com/ideias.incriveis/videos/353767251637406/


O que acho bem legal na família que eu moro é que os pais também se fantasiam e saem para o Trick or Treat também, o que faz com que as crianças se divirtam ainda mais e além disso eles gostam de se fantasiar em grupo, ano passado fomos todos de Super Mario Bros e esse ano de Scooby Doo.

Incentivem as suas host families a participarem também!


E ai, conta pra gente sua experiência de halloween aqui.

=)

Pra quem não conhece a história do Halloween, segue um link bem interessante contando detalhes.


08/10/2016

Como é ter host kid com Special Needs?

Como é ter host kid com Special Needs?
Hello people,

Para quem não sabe, uma das crianças que eu cuido tem síndrome de Down e hoje vim compartilhar um pouco com vocês sobre essa experiência!! Sempre, ou quase sempre, ouço as mesmas perguntas sobre cuidar de criança que tem alguma necessidade especial, como por exemplo: "é fácil?, Como é sua rotina? Precisa ter muita paciência, né?, Você já tinha alguma experiência anterior? Como você consegue? Cansa muito, não é? e por aí vai...
Aproveitarei esse post para responder quase todas essas perguntas, mas antes, de tudo, farei uma breve apresentação dele para vocês: chamarei ele de O, ele tem 3 anos (cheguei ele tinha 2), ainda não fala, não desfraldou, teve um problema no estomago e não consegue mais comer comida sólida, come apenas comida pastosa.


Olhem, não direi que é fácil, porque realmente não é, mas o O faz tudo parecer mais fácil, sabem? Ele é a criança mais doce e carinhosa que eu já conheci na vida e olha que já trabalhei com muitas! Mesmo que às vezes ele me tire do sério, por repetir um comportamento que não lhe convém ou quando falo e parece que ele não me entende, ele é amável!! 

Minha rotina com ele é bem tranquila. Ele vai à escola 3x na semana, o ônibus pega ele às 8:10 e deixa ele às 11:45, quando ele chega, dou almoço, troco a fralda e coloco para a nap (ele tira nap de 2h e é bem facil colocar ele pra dormir, apenas coloco ele na cama e ligo a musica, saio do quarto e ele adormece sozinho), quando ele acorda toma um suco e brincamos, geralmente fazemos alguma atividade para estimular o desenvolvimento cognitivo dele. Nos dias que não tem aula, só muda o horario da manhã, que dou o café da manhã, depois fazemos uma atividade.

Siiiim, é preciso ter MUITA paciência, mas muita paciência mesmo! Claro que, muita coisa depende da criança e do que ela tem, mas no quesito paciência é independente da criança. Se já é necessário ter paciência ao cuidar de criança, criança com algum atraso no desenvolvimento, seja ele mental ou fisico, requer o triplo (ou mais) de paciência. É preciso entender o tempo da criança, aceitar a doença que ela tem, saber que não devemos cobrar muito dela mas também não podemos tratá-la apenas com fragilidade e colocar as desculpas para tudo na Síndrome. É necessário ter equilibrio, o qual só será possível com muita paciência e aceitação. Como já disse, muitas vezes sinto que eu digo algo e ele não absorve, que não me compreende; daí preciso repetir e repetir até que entre por osmose. O fato de ele não falar complica muito, mas ele sabe se comunicar atraves de alguns sinais.  

Eu sou psicóloga infantil e, por essa razão, já atendi crianças com outros atrasos, mas com Síndrome de Down não. Tenho uma prima que tem Down também, o que eu acho que chamou atenção da minha Host Family, por ter fotos com ela no meu perfil. Então, sim, tinha experiência anterior de trabalho com criança com necessidade especial, mas não tinha experiência em cuidar, de fato, de uma.  Para ser bem sincera, às vezes nem eu sei como consigo, pois além dele, tem as irmãs (gemeas de 9 meses, cheguei tinham 1 mês), antes de vir e nos 3 primeiros meses, tinha muito medo, achava que não daria conta, mas graças a Deus e às crianças que cuido, é mais fácil do que parece ser, mas ainda assim é dificil rsrsrs Nem preciso dizer o quanto minha rotina é cansativa né? Trabalho as 45h semanais, 9h por dia, fim do dia eu só penso em dormir, ainda que o mais velho não me exija tanto, por ser um pouco independente, é muito cansativo. 

Mas enfim, sou um pouco suspeita pra falar sobre o assunto por ser completamente apaixonada pelo O, acho que o cromossomo a mais dele é o cromossomo do amor! É maravilhoso acompanhar o desenvolvimento dele, cada passo é uma comemoração, cada conquista é um grande passo. Outra coisa que é preciso falar é que, ao cuidar de criança com special needs, é preciso trabalhar de forma conjunta com os pais, pois de nada vai adiantar tratarmos ele de uma forma e os pais de outra ou vice-versa. Aqui,graças a Deus, qualquer nova descoberta que auxilie ele e que tenha eficácia é compartilhada e todo mundo se esforça para fazer o mesmo, em prol dele! Até porque tudo ainda é novo, tanto pra quanto para os pais, cada novo som tentando formar uma palavra, cada coco ou xixi feito na privada, cada tentativa de reintroduzir comida sólida, tudo é feito com muita dedicação e celebrado como uma verdadeira equipe!
Enfm, sem mais delongas, esse  foi um pouco do relato da minha experiência cuidando de criança com necessidade especial. Se tiverem mais alguma dúvida, let me know, por favor!!

Um super beijo no coração de vocês e até a próxima!!!

07/10/2016

O que esperar do Au Pair Program


Todo projeto que se inicia na nossa vida traz uma carga de objetivos e expectativas. Algumas vezes estes permanecem inalterados - ou quase - até o final daquela experiência. Mas na maior parte das vezes eles sofrem modificações, adaptações, mudam de direção, melhoram, pioram, morrem, renascem... O fato é que nunca temos controle de tudo que acontece à nossa volta e ter o coração aberto para entender e saber lidar com isso é uma grande lição que tiramos da vida.

Dois meses e meio foi o tempo que eu levei pra perceber que de todas as expectativas que eu tinha em relação ao Au Pair Program, a mais relevante é uma que eu não considerei quando ponderei os meus prós e contras para entrar nesse intercâmbio. 

Assim como muita gente eu optei por participar desse programa no intuito de melhorar o meu inglês, de dar um up no meu curriculo, de me afastar por um tempo da rotina que estava me engolindo viva, de tentar algum tipo de recomeço. (Claro que a gente aprende a amar nossas crianças, mas não é por elas que a gente vem, a gente vem por nós mesmos.) 

E foi tendo uma conversa comigo mesma um dia desses enquanto olhava essa natureza mixada com cidade e com cor de amor que é Seattle que eu me deparei com a maior verdade desse intercâmbio: a maior riqueza que ganhamos aqui é o amplo e impagável auto-conhecimento. Difícil explicar porque é um conceito super abstrato. Mas o bem mais precioso de um indivíduo é ele saber quem é ele mesmo, saber o que é importante pra ele, o que o deixa feliz de verdade, saber quem são as pessoas essenciais na vida dele e quem não é, saber qual é o papel dele nesse mundo, saber respeitar os próprios gostos e conhecer os próprios limites. A gente perde muito tempo elaborando ideias para carreiras e conquistas e relacionamentos de modo geral, e isso tudo faz parte, mas quando a gente se conhece direito, conhece a nossa essência, tudo isso vai no lugar de maneira super natural.

Acredito que todo intercâmbio proporcione desafios e crescimento, mas olha, vamos dar valor aqui para o programa de Au Pair, porque só quem é ou já foi sabe a quantidade de gigantes que se mata por dia. E é entre um gigante e outro que a gente aprende a se virar, aprende a planejar direito os lugares que quer conhecer durante uma trip de fds, aprende a lidar com as crianças gritando, com elas doentes, com elas cuspindo comida. Aprende a engolir desaforo, a não ter vergonha de pedir informação em inglês mesmo trocando as palavras. Aprende a ser cordial com quem não merece e aprende a impôr respeito quando é necessário. Aprende a lidar com a solidão - não importa quantos amigos você faça, às vezes a solidão simplesmente faz parte - aprende a tirar proveito do seu próprio espaço e do seu próprio tempo sozinho, aprende a se cuidar melhor já que não terá ninguém insistindo pra você tomar um remédio quando estiver doente, aprende a limpar, organizar, arrumar sim, porque agora é você quem não quer viver em um espaço sujo. Aprende a ser responsável por si mesmo, pelas próprias escolhas e passa a gostar disso.


Esse não é um post de auto-ajuda nem nada do tipo, é apenas uma reflexão compartilhada sobre como o intercâmbio pode - e muito provavelmente vai - mudar a sua vida de forma definitiva. A boa notícia é que vai mudar pra melhor.

Se você está em dúvida sobre fazer ou não intercâmbio a minha dica é: segue o seu coração. Eu diria um sonoro "vem!" mas acredito que cada um tenha um momento e um preparo psicológico para viver algo. Mas se seu coração diz "vai" e o que te prende é medo, venha. Esse mundo já está cheio de gente medrosa perdendo chances e mais chances. O seu maior sinal é o interesse que te fez ler esse post até aqui. Muito mais do que uma boa lembrança na memória, você será uma uma nova versão maravilhosa de você mesmo.

Foco, coragem e uma viagem incrível para você!


Roberta Izzo

03/10/2016

REMATCH depois de uma semana!!!

REMATCH depois de uma semana!!!
Oie pessoal,

Eu gostaria nesse momento de contar algo legal ou engraçado que tivesse acontecido comigo, contar sobre a festa de despedida ou sobre o treinamento, mas a verdade é que eu fui pega pelo monstro do rematch e queria contar para vocês como tem sido.

Eu cheguei na família dia 09/09 e dia 17/09 minha host mom pediu rematch.
Não teve diálogo, ela simplesmente disse que conversou com a LCC e estava feito.
O motivo que ela usou foi: "Eu não acredito que você vai ser capaz de dirigir na neve".
Eu dirijo desde 2014, nunca sofri nenhum acidente, não passei em nenhum sinal vermelho,  placa de pare ou qualquer coisa que fizesse ela perder a confiança em mim no volante.
Eu tenho uma amiga aqui que bateu o carro no primeiro dia e a HF nem falou nada.
As leis de trânsito aqui são um pouco diferentes mas nada que um pouco de tempo não resolvesse.

PS: Ela tinha pago 10 horas de aula pro instrutor treinar comigo e quando ela pediu rematch eu nem sequer tinha terminado as aulas.

Geeeeeeente, e ela SABIA que no Brasil não tinha neve, que eu nunca tive esse tipo de experiência e pro meu "azar", eu sou a primeira e espero que a última au pair brasileira.
Eu nem tive chance de dialogar, tentar pagar mais aula quando o inverno chegasse, nada.
Minhas duas semanas já terminaram mas desde o princípio combinamos que eu ficaria 3 semanas e hoje ela disse que se fosse preciso eu poderia ficar mais.

Estou tendo dificuldade pra achar família agora por motivos de:
Não sou infant qualified (estou tentando alterar isso);
Tenho bad review com carro e
A maioria das famílias já escolheram au pair porque o semestre letivo já começou.

Hoje foi um pouco parado até porque é feriado, mas eu espero poder voltar mês que vem com boas notícias.

E se você passou por isso e quer compartilhar conosco, deixe nos comentários.

See you soon,
Jessy

10/09/2016

Vocabulário de Au Pair : Quais as palavras mais usadas no dia a dia como Au Pair?

Hi Folks!


Today I come to bring a practical vocabulary list for use on a daily basis as an Au Pair.



Some words you may even find nonsense I have put here, but believe me, maybe another person does not know and will benefit from the information, so I wanted to keep the full version even with the "obvious" words.

Enough talk and let's the list:

  • FAMILY
PARENTS: PARENTS
MOTHER (MOM): MOTHER
FATHER (DAD): PAI
SISTER: SISTER
BROTHER: BROTHER
SON: SON
DAUGHTER: DAUGHTER
GRANDMOTHER (GRANDMA): GRANDMOTHER
GRANDFATHER (Granpa): GRANDFATHER
GRANDAUGHTER: NETA
GRANDSON: NETO
UNCLE: UNCLE
AUNT: TIA
COUSIN: COUSIN, PRIMA
NEPHEW: NEPHEW
NIECE: NIECE
MOTHER-IN-LAW: LAW
FATHER-IN-LAW: father
SISTER-IN-LAW: SISTER-
BROTHER-IN-LAW: BROTHERINLAW
DAUGHTER-IN-LAW: NORA
SON-IN-LAW: GENRO
  • EDUCATION
SCHOOL: SCHOOL
NURSERY SCHOOL / DAY CARE (CENTER / CENTRE): Little School, NURSERY (FROM 6 WEEKS TO 5 OR 6 YEARS OLD)
PRE-SCHOOL: PRE-SCHOOL (FROM 2 TO 6 YEARS OLD)
ELEMENTARY SCHOOL: Elementary School (kindergarten FROM TO 5TH OR 6TH GRADE)
KINDERGARTEN: KINDERGARTEN (FROM 5 OR 6 YEARS OLD)
MIDDLE SCHOOL / JUNIOR HIGH: ELEMENTARY SCHOOL (FROM 5TH OR 6TH GRADE TO 8TH GRADE)
  • AGES 
BABY: BABY
INFANT: FROM 3 MONTHS OLD TO ONE YEAR OLD (OR TO BEGIN TO WALK)
Todller: FROM ONE YEAR OLD TO 4 YEARS OLD
CHILD: CHILD
CHILDREN: CHILDREN
KID: CHILD
TEENAGER: TEEN
ADULT: ADULT
  • HOUSE
ROOM: ROOM / BEDROOM
BEDROOM: BEDROOM
BATHROOM: BATHROOM
KITCHEN: KITCHEN
OFFICE: OFFICE
GARAGE: GARAGE
DEN: OFFICE
LAUNDRY ROOM: LAUNDRY
MASTER BEDROOM: SUITE (ROOM)
MASTER BATHROOM: SUITE (BATHROOM)
LIVING ROOM: ROOM (WHERE HAVE TV)
DINING ROOM: DINING ROOM
PANTRY: PANTRY
BASEMENT: BASEMENT
ATTIC: ATTIC
FRONT YARD: FRONT YARD
BACK YARD: BACK GARDEN
PORCH: BALCONY
BALCONY: BALCONY
STAIRS: LADDER
  • FURNITURE (FURNITURE)
CHAIR: CHAIR
TABLE: TABLE
COUCH: COUCH
CLOCK: WALL CLOCK
WALL: WALL
FLOOR: GROUND FLOOR
WINDOW: WINDOW
DOOR: Door
LIGHT: LIGHT
LAMP: ABAJOUR
BED: BED
CLOSET: CABINET
NIGHT STAND: CREATED-DUMB
DESK: DESK
SHELF: SHELF
CURTAIN: CURTAIN
BLIND: BLINDS CARPET: CARPET, CARPET (BIG)
DRESSER: DRESSER
RUG: RUG (SMALL)
MAT: Doormat
  • ELECTRONICS AND OTHERS
COMPUTER: COMPUTER
VIDEO PLAYER (VCR): VIDEO TAPE
DVD PLAYER: DVD SET
TV: TV
RADIO: RADIO
STEREO: SOUND EQUIPMENT
ANSWERING MACHINE: ANSWERING MACHINE
AIR-CONDITIONER: AIR CONDITIONING
FAN: FAN
  • IN THE KITCHEN
REFRIGERATOR (frigde): REFRIGERATOR
FREEZER: FREEZER
STOVE: STOVE
OVEN: OVEN
DISH WASHER: DISHWASHER MACHINE
SINK: PIA
FAUCET / TAP: TAP
MICROWAVE: MICROWAVE
ELECTRIC OVEN: Forninho
TOASTER: TOASTER
GARBAGE DISPOSAL: FOOD GRINDER
KITCHEN COUNTER: KITCHEN BENCH
CUPBOARD OR CABINETS: CABINET
DRAWER: DRAWER
APPLIANCE: APPLIANCE
  • IN THE LAUNDRY ROOM
WASHING MACHINE: WASHING MACHINE
DRYING MACHINE / DRYER: TUMBLE
CLOTHES LINE: Clothesline
SOAP: SOAP
FABRIC Softener: Softener
  • IN THE BATHROOM
BATH TUB: TUB
SHOWER: SHOWER
TOILET: PRIVATE
FLUSH: PULL / GIVE DISCHARGE
TOILET PAPER: TOILET PAPER
TRASH / GARBAGE: GARBAGE 
  • Adjectives
BEAUTIFUL: BONITO
PRETTY: BEAUTIFUL
GREAT: GREAT
UGLY: UGLY
BIG: BIG
SMALL: SMALL
GOOD: GOOD
BAD: BAD
LARGE: LARGE, LONG
LONG: LONG, LONG, CONSUMING
SHORT: SMALL, SHORT (FOR THINGS, PEOPLE AND ANIMALS)
HIGH: HIGH (ONLY THINGS)
LOW: LOW (ONLY THINGS)
TALL: HIGH (ONLY FOR PEOPLE)
WONDERFUL: WONDERFUL
AMAZING: INCREDIBLE, AMAZING
AWESOME: AWESOME, WONDERFUL
AWFUL: POOR, AWFUL, AWFUL
HORRIBLE: AWFUL
YOUNG: YOUNG, YOUNG (ONLY FOR PEOPLE AND ANIMALS)
OLD: OLD (FOR THINGS, PEOPLE AND ANIMALS)
HANDSOME: ELEGANT
NICE: LEGAL (FOR ALL)
NEW: NEW (ONLY THINGS)
FAST: FAST
SLOW: SLOWLY
QUICK: FAST
  • BODY
HEAD: HEAD
HAIR: HAIR
FACE: FACE
EYE: EYE
EAR: EAR
NOSE: NOSE
CHEEK: Cheek
CHIN: CHIN
MOUTH: MOUTH
TONGUE: LANGUAGE
EYEBROW: Eyebrow
NECK: NECK
ARM: ARM
CHEST: CHEST
BREAST: BUST
SHOULDER: SHOULDER
WRIST: PULSE
HAND: HAND
FINGER: FINGER
THUMB: HAND thumb
STOMACH: BELLY
FOREHEAD: TESTA
HIP: HIP
BACK: BACK
LEG: LEG
THIGH: THIGH
KNEE: KNEE
BUTT: BUTT
ANKLE: ANKLE
FOOT: FOOT
FEET: FEET
TOE: TOE
TOOTH: TOOTH
Theeth: TEETH
  • BABIES
PACIFIER: CHUPETA
BOTTLE: BOTTLE
MILK: MILK
CHOCOLATE MILK: NESCAU, TODDY, Nesquik, Hersheys
TO FEED: FOOD DAR, FOOD
DIAPER: NAPPY
TO BURP: Burp
TO SLEEP: SLEEP
TO PUT TO BED: PUT TO SLEEP PRA - PUTTING IN BED
TO WAKE UP: WAKE
TO TAKE A NAP: TAKE A SNOOZE (DURING THE DAY)
BLANKET: BLANKET
TO WALK: WALK
STEP: STEP
SMELL: SMELL
POOP: COCO, COCO DO
PEE: PEE, PEE
TO TAKE A BATH: GIVE BATH
TO GIVE A BATH: GIVE BATH
FORMULA: PAP
BIB: BIB
RASH: diaper rash
TO THROW UP: Vomiting
CREAM, OINTMENT, PASTE: OINTMENT
BABY WIPES: hankie
BLANKIE: Skirt Steak (CLOTH)
CRIB: COT
TO DROOL: BABAR
CAR SEAT: CAR SEAT
STROLLER: BABY CARRIAGES
HIGH CHAIR: Highchair
BATH TUB: TUB
POTTY: bedpan
POTTY TRAINING: LEARN HOW TO USE THE potty
TO BREAST FEED: GIVE CHEST
Breastfeeding: BREASTFEEDING
BABY WALKER: ANDADOR
STUFFED ANIMAL: Bichinho PLUSH
TO CRY: CRY
TO CLEAN: CLEAN
 PJ: PAJAMAS
  • FOOD AND EAT
MEALS: MEALS
BREAKFAST: BREAKFAST
LUNCH: LUNCH
SNACK: SNACK
DINNER, SUPPER: DINNER
PLATE: PRATO
PAN: PAN
FORK: FORK
SPOON: SPOON
KNIFE: KNIFE
Frying Pan: FRYER
BOWL: BOWL
GLASS: CUP
CUP: CUP
BOTTLE: BOTTLE
CAN: CAN
GALLON: GALLON
MUG: MUG
JUG, PITCHER: JARRA
CAFETERIA: SCHOOL CAFETERIA, OR ELSEWHERE
LUNCH BOX: lunchbox
TO BE HUNGRY: BE HUNGRY
  • FOOD
RICE: RICE
BEAN: BEAN
PASTA: NOODLES
MEAT: FLESH
STEAK: BEEF FILLET
CHICKEN: CHICKEN
EGG: EGG
TURKEY: PERU
SALAD: Salad
FISH: FISH
TUNA: TUNA
SHRIMP: SHRIMP
Chickpea: CHICKPEAS
Lentil: LENTIL
CHEESE: CHEESE
BREAD: BREAD
HAM: HAM
BUTTER: BUTTER
Margarine: MARGARINE
CREAM CHEESE: CURD, CREAM CHEESE
SAUCE: SAUCE
TOMATO SAUCE: TOMATO SAUCE
 OLIVE: OLIVE
SANDWICH: SANDWICH
PIZZA: PIZZA
PEPERONI: PEPERONI
HOT DOG: SAUSAGE, HOT DOG
SAUSAGE: A TYPE OF SAUSAGE (GERMAN SAUSAGE)
FRENCH FRIES: CRISP
BURGER: BURGER
BACON: BACON
LASAGNA: LASAGNA
MEATBALL: Meatball
CRACKERS: WATER AND SALT WAFER / CREAM CRACKER
OAT: OATS
WHEAT: WHEAT / INTEGRAL
DUCK: DUCK
SOUP: Soup
LOBSTER: LOBSTER 
  • SWEETS AND DESSERT
CHOCOLATE: CHOCOLATE
CAKE: CAKE
PIE: PIE
Mousse: Mousse
COOKIE: COOKIE
PASTRY: SWEET PUFF PASTRY
ICE CREAM: CREAM
CANDY: BALA
GUM: Chewing Gum
LOLLIPOP: LOLLIPOP
PUDDING: PUDDING
Yougurt: YOGURT
BROWNIE: BROWNIE
MUFFIN: MUFFIN
DONUT: DONUT
  • VEGETABLES
LETTUCE: LETTUCE
TOMATO: TOMATO
ONION: ONION
PEA: PEA
GREEN BEAN: POD
CARROT: CARROT
CABBAGE: CABBAGE
CORN: CORN
SWEET POTATO: SWEET POTATO
Zuccini: ZUCCHINI
CUCUMBER: CUCUMBER
RADISH: RADISH
BROCCOLI: BROCCOLI
CAULIFLOWER: CAULIFLOWER
BEET: BEET
RED PEPPER: RED CHILI
YELLOW PEPPER: YELLOW CHILI
GREEN PEPPER: YELLOW CHILI
GARLIC: Garlic
SPINACH: SPINACH
EGGPLANT: EGGPLANT
CELERY: AIPO
MUSHROOM: MUSHROOM / CHAMPIGNON
BASIL: BASIL
WATERCRESS: CRESS
OKRA: OKRA
  •  FRUITS / VEGETABLE
 BANANA: BANANA
APPLE: APPLE
WATERMELON: WATERMELON
MELON: MELON
ORANGE: ORANGE
PAPAYA: Papaya
MANGO: MANGO
PASSION FRUIT: PASSION
PINEAPPLE: Pineapple
CANTALOUPE: MAMÃO ROSY
LEMON: LEMON
STRAWBERRY: STRAWBERRY
BLACKBERRY: AMORA
BLUEBERRY: BLUEBERRY
RASPBERRY: RASPBERRY
CRANBERRY: CRANBERRY
CLEMENTINE: mexerica
PUMPKIN: PUMPKIN
GRAPE: UVA
AVOCADO: AVOCADO
PEACH: PEACH
PLUM: PLUM
CHERRY: CHERRY
PEAR: PEAR
COCONUT: COCONUT
GUAVA: GOIABA
GRAPEFRUIT: GRAPEFRUIT
  • BEVERAGES
COFFEE: Coffee
TEA: TEA
WATER: WATER
JUICE: JUICE
WINE: WINE
BEER: BEER
POP / SODA / SOFT DRINK: SODA
HOT CHOCOLATE: HOT CHOCOLATE
CHOCOLATE MILK: CHOCOLATE (NESCAU)
MILK: MILK
  • FOOD KIDS LIKE TO EAT
PEANUT BUTTER SANDWICH: peanut butter SANDWICH
PEANUT BUTTER AND JELLY SANDWICH: PEANUT PASTE WITH JELLY SANDWICH
PIZZA: PIZZA
GRILLED CHEESE SANDWICH: CHEESE HOT
BAGEL: BAGEL (TYPE DONUT BUT NOT SWEET)
TOAST: TOAST
OATMEAL: CEREAL
CEREAL: CEREAL
MASHED POTATOES: POTATO PUREE
  • SPORTS
TENNIS: TENNIS
BASKETBALL: BASKETBALL
VOLLEYBALL: VOLLEYBALL
SOFTBALL: SOFTBALL (DIFFERENT BASEBALL)
BASEBALL: BASEBALL
SOCCER: SOCCER (OUR)
FOOTBALL: FOOTBALL
SWIMMING: SWIMMING
GYMNASTICS: GYMNASTICS OLYMPIC
CHEERLEADING: CHEERLEADER (TWISTED LEADER)
LACROSSE: LACROSSE
TRACK: SMALL RACE, MEDIUM AND LONG DISTANCE
HOCKEY: HOCKEY
ICE SKATING: SKATING ON ICE
CROSS COUNTRY: RACE ON THE GRASS OR LAND
GOLF: GOLF
BOWLING: BOWLING
COACH: COACH
TO COACH: COACH
Practise: TRAINING
Practise TO: TRAINING, PRACTICE, Rehearse
ROUTINE: CHOREOGRAPHY
LITTLE LEAGUE: TEAM SPORTS FOR CHILDREN
GAME: GAME
TEAM: TIME
BOY SCOUTS / GIRL SCOUTS: Boy Scouts
  • FIGHT OR ARGUMENT VOCABULARY
FIGHT: FIGHT, FIGHT
ARGUMENT: DISCUSSION
To Argue: DISCUSS
TO YELL: SCREAM
TO YELL AT: CRY COM (Someone)
TO SCREAM: SCREAM
TO SCREAM AT: CRY COM (SOMEONE)
TO GROUND: PUNISHMENT AND PUTTING SOMETHING TO DRAW.
TO BE Grounded: PUNISHMENT OF STAY
TO GET Grounded: PUNISHMENT OF STAY
CUT IT OUT: TO THAT
BREAK IT UP: SEPARATE, REMOVE YOURSELF
TO HIT: BEAT (FOR ALL)
TO BEHAVE: BEHAVE YOURSELF
TALK BACK TO: REPLY (BEING CREATED MAL)
KNOCK IT OFF: TO THAT
TIME OUT: PUNISHMENT 
  • WHEN SOMEONE IS SICK
SICK: SICK
TO FEEL: FEELING
NOT TO FEEL GOOD: NOT FEELING GOOD
HEADACHE: HEADACHE
STOMACH ACHE: PAIN BELLY
HURT: DOER
PAIN: PAIN
MEDICINE: REMEDY
TO TAKE THE MEDICINE: TAKE REMEDY
PRESCRIPTION: RECIPE
PHARMACY: PHARMACY
DRUG STORE: DROGARIA
DOCTOR: DOCTOR
HOSPITAL: HOSPITAL
INSURANCE: INSURANCE (FOR ALL)
HEALTH INSURANCE: COVENANT
COUGH: COUGH, COUGH
SORE: Aching
SORE THROAT: SORE THROAT
BACK PAIN: BACK PAIN
FEVER: FEVER
THERMOMETER: THERMOMETER
COUGH SYRUP: SYRUP
COLD: FLU
TO GET / TO CATCH A COLD: GET FLU
FLU: COLD
"TO COME DOWN WITH": GET ANY DISEASE
RUNNY NOSE: runny nose
MIGRAINE: MIGRAINE
TO REST: to rest for , REST
SNEEZE: SPLASHING, SPLASHING
ITCH: ITCH, SCRATCHING
TOOTHACHE: PAIN OF TOOTH
TEMPERATURE: TEMPERATURE
I hope that helps =)


Credits mara this vocabulary list: Thaynara Pires and little help from American boy.
With Love <3



Postagens mais antigas Página inicial